Trump ameaça 'fogo e fúria' contra Coreia do Norte após relatos de que país tem míssil nuclear

Imprensa norte-americana diz que governo de Kim Jong-un desenvolveu ogiva miniaturizada para armar mísseis intercontinentais; presidente dos EUA promete 'fogo e fúria e um poder que este mundo nunca viu antes' contra Pyongyang

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou nesta terça-feira (08/08) responder à Coreia do Norte com “um fogo e uma fúria nunca vistos no mundo”, após surgirem relatos de que Pyongyang fabricou uma ogiva nuclear em miniatura que pode ser colocada em um dos seus mísseis balísticos.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

“É melhor que a Coreia do Norte não faça mais ameaças aos EUA. Eles vão se deparar com um fogo e uma fúria nunca vistos no mundo”, disse Trump em declarações a jornalistas em Bedminster, Nova Jersey.

“Ele está fazendo muitas ameaças, mais do que o normal”, disse Trump, em uma aparente referência ao líder norte-coreano, Kim Jong-un. “E, como eu disse, eles vão se deparar com fogo e fúria e, francamente, com um poder que este mundo nunca viu antes”, completou o presidente norte-americano.

As declarações foram feitas depois de a imprensa norte-americana ter afirmado que a Coreia do Norte teria conseguido miniaturizar uma ogiva nuclear, entrando em uma nova fase de seu programa atômico.

A informação foi publicada por dois veículos diferentes, o jornal The Washington Post, que cita um relatório da Agência de Inteligência de Defesa (DIA) dos EUA, e a emissora NBC, que se baseia em um relatório do Ministério da Defesa do Japão.

Agência Efe

'É melhor que a Coreia do Norte não faça mais ameaças aos EUA. Eles vão se deparar com um fogo e uma fúria nunca vistos no mundo', disse Trump

Secretário de Estado dos EUA diz que Washington não 'busca derrubar' Kim Jong-un

Governo Trump está avaliando opções para tirar Maduro do poder, diz secretário de Estado dos EUA

China pede que Coreia do Norte cesse testes nucleares e de mísseis após novas sanções da ONU

 

Se confirmado, o avanço representará um passo crucial para tornar o regime de Pyongyang uma potência nuclear plena. Com os bem sucedidos testes de mísseis intercontinentais, a próxima etapa do programa da Coreia do Norte seria dominar a tecnologia capaz de armar esses projéteis com ogivas nucleares.

Para isso, é preciso miniaturizá-las e torná-las aptas para serem acopladas a um míssil balístico. Em pelo menos duas ocasiões, em maio de 2015 e em março de 2016, o governo de Kim Jong-un anunciou que conseguira reduzir uma ogiva nuclear, mas a informação nunca foi confirmada por fontes externas.

Segundo a inteligência norte-americana, Pyongyang possui atualmente cerca de 60 bombas atômicas. O governo norte-coreano defende que seu programa nuclear pretende dissuadir os EUA de uma eventual invasão.

Mais cedo, a Coreia do Norte ameaçou realizar “ações físicas” em resposta às sanções decretadas no último sábado (05/08) pelo Conselho de Segurança da ONU, em votação que contou com apoio da China e da Rússia.

As sanções da ONU, que se aplicam a importantes itens de exportação da Coreia do Norte, foram adotadas depois dos dois testes com mísseis balísticos intercontinentais realizados por Pyongyang em julho. 

 

*Com ANSA e Agência Efe

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

História Agrária da Revolução Cubana

História Agrária da Revolução Cubana
Este livro é um estudo sobre a saga da reforma agrária numa sociedade de origem colonial presa ao círculo vicioso do subdesenvolvimento. Fundamentado em farta documentação e entrevistas com técnicos e lideranças que participaram diretamente do processo histórico cubano, o trabalho reconstitui as barreiras encontradas pela revolução liderada por Fidel Castro para superar as estruturas materiais de uma economia de tipo colonial.
Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias