Portugal pede ajuda à União Europeia para combater nova onda de incêndios no país

Em junho, incêndio de grandes proporções deixou mais 60 mortos na região de Pedrógão Grande e um prejuízo de cerca de 500 milhões de euros

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

As autoridades de Portugal pediram ajuda à União Europeia para combater as chamas que afetam boa parte do seu território, especialmente o centro, onde preocupam dois grandes incêndios que afetam o distrito de Santarém.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo o último balanço da situação, divulgado neste domingo (13/08) pela porta-voz da Autoridade de Proteção Civil, Patrícia Gaspar, há atualmente em curso doze incêndios no país, dos quais seis são considerados "mais excepcionais" e apresentam maior complexidade.

Entre eles, Patrícia destacou que geram "grande preocupação" os focos nos municípios de Tomar e Ferreira do Zêzere, ambos no distrito de Santárem, onde há mais de 580 bombeiros trabalhando, apoiados por 180 carros e oito aeronaves.

Agência Efe

Portugal enfrenta nova onda de incêndios florestais

Incêndio em Portugal causou prejuízo equivalente a R$ 1,8 bi, diz governo do país

Aos 85 anos, capitão da Revolução dos Cravos defende tese de doutorado sobre descolonização

Incêndios florestais obrigam evacuação de 12 mil pessoas na costa mediterrânea da França

 

As previsões meteorológicas para este domingo, disse a porta-voz, são "muito similares" às registradas nas últimas horas, com fortess vento e altas temperaturas que não baixaram dos 20 graus durante a noite, o que complicou o combate às chamas na madrugada.

Segundo Gaspar, será uma continuação de um sábado de "horas difíceis", em que Portugal bateu o recorde de incêndios registrados em um só dia com um total de 268 focos contabilizados até a meia-noite. 

Em junho, um incêndio de grandes proporções deixou mais 60 mortos na região de Pedrógão Grande e um prejuízo de cerca de 500 milhões de euros. Segundo a polícia portuguesa, o incêndio foi causado por trovoadas secas, fenômeno meteorológico que acontece em regiões muito secas e muito quentes – a temperatura na região chegava a 40°C na época.

Além disso, Pedrógão Grande tinha plantações de eucalipto que foram consumidas rapidamente pelo fogo. A árvore é a mais presente em território português e serve principalmente à indústria de papel, um dos principais setores industriais do país.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias