Uruguai pede reunião do Mercosul para discutir reforma trabalhista do Brasil, a qual diz ser 'retrocesso'

Ministério do Trabalho uruguaio enviou nota ao Itamaraty pedindo encontro especial no bloco; com reforma trabalhista do Brasil ‘retrocedemos dois ou três séculos’, diz ministro do Trabalho uruguaio

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O Ministério do Trabalho uruguaio enviou uma nota ao governo brasileiro solicitando uma reunião especial no Mercosul para discutir a reforma trabalhista aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente Michel Temer (PMDB). A nota endereçada ao Itamaraty expressa a preocupação do país vizinho em relação à competitividade no mercado de trabalho. 


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Em discurso realizado na última sexta-feira (11/08) na sede do Ministério do Trabalho e Seguridade Social do Uruguai , o ministro do Trabalho, Ernesto Murro, afirmou que a reforma trabalhista aprovada pelo Senado brasileiro é um “retrocesso” e que “não será só para os brasileiros”.

“Se vale mais um acordo individual entre um empregado e um patrão do que uma lei ou convênio, retrocedemos dois ou três séculos e isso não será apenas para os brasileiros”, disse o ministro. “Se, no Mercosul, temos que respeitar distintos direitos e obrigações, também precisamos respeitar direitos sociais e trabalhistas", acrescentou o ministro.

Agência Efe

Uruguai pediu reunião especial no Mercosul para discutir preocupação com reforma trabalhista

Comitê Brasileiro pela Paz na Venezuela classifica de 'arbitrária e ilegal' suspensão de Caracas do Mercosul

Brasil abandonou liderança da América do Sul para se alinhar aos EUA, diz pesquisadora

Ex-senador boliviano Roger Pinto Molina, asilado no Brasil, morre após queda de ultraleve

 

Rodolfo Nin Novoa, ministro de Relações Exteriores do país, declarou que a reforma “preocupa o Uruguai porque é uma maneira de competir com base com base na queda dos direitos trabalhistas, que sempre se tentou evitar”.

O ministro afirmou que, com a nota, o Uruguai não busca “interferir na legislação interna dos países, mas queremos marcar preocupações, porque assim vai ser bem difícil competir”.

Em resposta, o Itamaraty chamou o embaixador uruguaio no Brasil Daniel Amorín-Tenconi para dar explicações sobre o pedido, em um gesto diplomático que representa descontentamento.

Reforma

Aprovada em julho pelo Senado brasileiro, a reforma trabalhista passará a vigorar em 119 dias e integra uma agenda de retrocessos iniciada pelo governo Temer. Com ela, acordos individuais entre patrões e funcionários ganharão caráter de lei, com a possibilidade de privar o trabalhador de uma série de direitos conquistados.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias