Embaixada dos EUA na Rússia suspende emissão de vistos turísticos

Para ministro das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, medida procura gerar descontentamento na sociedade russa

A embaixada dos Estados Unidos na Rússia anunciou nesta segunda-feira (21/08) que suspenderá a emissão de vistos turísticos entre os dias 23 de agosto e 1º de setembro. Segundo a entidade, a decisão foi tomada “devido ao limite impostopelo governo russo ao número de diplomatas autorizados a estar na Rússia”.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Após este período, os vistos para turistas serão emitidos apenas em Moscou por “um tempo indefinido”. Já as unidades de São Petersburgo, Ekaterinburgo e Vladisvostok não farão esse tipo de serviço.

“Todas as solicitações para vistos não relativas às práticas de migração começarão a ser cancelados. Os interessados receberão um e-mail com o número de telefone para agendar um novo pedido, em Moscou”, disse ainda a embaixada.

De acordo com a entidade, além dos vistos para turistas, também sofrerão restrições aqueles para estudantes e para negócios. “A embaixada de Moscou continuará a tratar os vistos não-imigração que não prevem uma entrevista direta”, acrescentou ainda a entidade.

Reprodução/Wikicommons

Decisão ocorre após ordem do governo russo para diminuir 755 pessoas doo número de diplomatas norte-americanos no país

O ministro de Relações Exteriores da Rússia,Serguei Lavrov, após tomar conhecimento da decisão da embaixada, a considerou como “pouco respeitosa”.

Rússia pede que comunidade internacional desista de 'planos destrutivos' contra Venezuela

Rússia não aceitará que Coreia do Norte tenha armas nucleares, diz chanceler de Putin

Ministro de Relações Exteriores da Rússia diz que é 'inaceitável' ameaça militar de Trump contra Venezuela

 

“Moscou presume que o serviço diplomático norte-americano e a tradição diplomática norte-americana, assim como a russa, tenha renomada tradição e experiência na formação de funcionários altamente profissionais que podem ocupar-se das questões que afetem as embaixadas e consulados gerais no exterior. E que, certamente, tem uma base tecnológica suficiente para assegurar que as suas funções externas funcionem de modo moderno”, disse Lavrov à impresa russa.

A medida americana, segundo Lavrov, procura gerar descontentamento na sociedade russa.

No final de julho, a Rússia ordenou o governo americano a reduzir, a partir de 1º de setembro, em 755 pessoas o número de diplomatas e colaboradores que trabalham na sua embaixada em Moscou e nos consulados de São Petersburgo e outras cidades russas.

Moscou apontou que a medida era uma resposta à adoção por parte dos EUA da lei que regula as sanções à Rússia e outros países, e que, além disso, buscava igualar o tamanho da representação americana em território russo e da missão russa nos EUA.

*Com EFE e ANSA

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

A XV Semana de Relações Internacionais da PUC-SP se propõe a debater diversos temas de suma importância no mundo global, diverso, construído por múltiplas interseccionalidades e difíceis obstáculos que emergem em tempos nebulosos, incertos e de repressão e transgressão. Assim, o Centro Acadêmico de Relações Internacionais da PUC-SP convida todos a participarem de uma semana repleta de debates, circunscrevendo: a Segurança Pública e Internacional; aos desafios da migração num mundo de muros e fronteiras; aos direitos em oposição com a determinação neoliberal; aos discursos de resistência e política do Sul outrora colonizado; a inserção internacional brasileira pela política externa e comercial; aos desafios da saúde num mundo global e capitalista. Mini-cursos sobre desenvolvimento da África e narrativas alternativas ao desenvolvimento progressivista na América Latina e um workshop com a Professora Dra. Mônica Hirst serão oferecidos
Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias