Justiça norte-americana suspende banimento do livro de Paulo Freire no Arizona

Medida foi considerada um ataque aos direitos constitucionais dos estudantes do estado

A justiça norte-americana considerou nesta terça (22/08) que medida de banir sete livros de escolas públicas do Arizona fere os direitos constitucionais dos estudantes do estado.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A medida foi tomada pelos então secretários de governo John Huppenthal e Tom Horne em 2010. Entre os livros banidos estava o livro “Pedagogia do oprimido” do educador brasileiro Paulo Freire.

Segundo a decisão judicial, o Arizona, ao banir o livros das escolas, violaria os direitos constitucionais dos estudantes “por que promulgação quanto a execução [da medida] foram motivadas por questões raciais”, afirmou o juiz A. Wallace Tashima.

Reprodução

Segundo a justiça norte-americana a decisão de banir o livro de Paulo Freire foi tomada para obter ganhos políticos

Xerife do Arizona anuncia que é gay e renuncia à campanha de Romney

Colisão entre dois helicópteros mata 7 marines no Arizona

Romney vence no Arizona e em Michigan e amplia vantagem na disputa republicana

 

“Evidências adicionais mostram que os réus estavam perseguindo fins discriminatórios para obter ganhos políticos. Horne e Huppenthal repetidamente apontaram seus esforços contra o programa em suas respectivas campanhas políticas de 2011, inclusive em discursos e propagandas de rádio. A questão foi uma benção política para os candidatos”, escreveu o juiz na senteça.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

A XV Semana de Relações Internacionais da PUC-SP se propõe a debater diversos temas de suma importância no mundo global, diverso, construído por múltiplas interseccionalidades e difíceis obstáculos que emergem em tempos nebulosos, incertos e de repressão e transgressão. Assim, o Centro Acadêmico de Relações Internacionais da PUC-SP convida todos a participarem de uma semana repleta de debates, circunscrevendo: a Segurança Pública e Internacional; aos desafios da migração num mundo de muros e fronteiras; aos direitos em oposição com a determinação neoliberal; aos discursos de resistência e política do Sul outrora colonizado; a inserção internacional brasileira pela política externa e comercial; aos desafios da saúde num mundo global e capitalista. Mini-cursos sobre desenvolvimento da África e narrativas alternativas ao desenvolvimento progressivista na América Latina e um workshop com a Professora Dra. Mônica Hirst serão oferecidos
Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias