Governo chinês pede diálogo para solucionar crise na península coreana

País também saudou a disposição da Suíça de agir como mediador neste processo

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

As sanções contra a Coreia do Norte não solucionarão a crise na península se outras formas de aliviar a tensão não forem abertas, advertiu, nesta terça-feira (05/09), o Governo da China, enquanto a ONU estuda uma nova e mais forte resolução contra Pyongyang após teste nuclear.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Para resolver o conflito, "a força militar nunca é uma opção e as sanções por si só não oferecem uma saída", afirmou porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, em entrevista coletiva.

No entanto, Geng não esclareceu se a China apoiará uma nova rodada de sanções contra seu vizinho e se limitou a dizer que "as decisões do Conselho de Segurança dependem do resultado das discussões entre os membros" deste órgão.

 

 

Apenas 36% dos norte-americanos conseguem localizar Coreia do Norte no mapa, diz pesquisa

China pede que EUA respeitem princípio de não ingerência na Venezuela

Imprensa 'não deu devida atenção' ao tratado de proibição de armas nucleares aprovado pela ONU, diz assessor do CICV

 

Em um momento em que Estados Unidos, França e Reino Unido pedem uma resposta mais firme contra o regime norte-coreano após o teste nuclear realizado no domingo (03/09), Geng solicitou que as conversas sejam retomadas e espera que todas as partes evitem uma escalada da tensão.

Agência Efe

França, EUA e Reino Unido já pediram resposta mais firme ao governo norte-coreano


Neste momento, considera Geng, a "tendência dominante" é conseguir uma solução pela via "pacífica" e a China espera que todas as partes envolvidas sejam sensatas e "mantenham a calma", ao invés de "colocar lenha na fogueira".

Nesse sentido, o porta-voz chinês saudou a vontade da Suíça de agir como "mediador" na crise: "A China dá as boas-vindas e encoraja todas as propostas e esforços para aliviar a tensão", afirmou.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990