Líder da Farc pede, em carta, perdão ao papa Francisco pelas vítimas da guerrilha

'Timochenko' afirmou também que ex-guerrilheiros perdoaram aqueles que eram seus 'inimigos' e realizaram um 'ato de contrição indispensável'

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O líder máximo das Farc, Rodrigo Londoño Echeverri, conhecido como "Timochenko", pediu perdão nesta sexta-feira (08/09) em uma carta ao papa Francisco pelas milhares de vítimas da guerrilha na Colômbia.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Suas reiteradas exposições sobre a misericórdia infinita de Deus me movem a suplicar por seu perdão por qualquer lágrima ou dor que tenhamos causado ao povo da Colômbia ou a um de seus integrantes", escreveu "Timochenko".

Londoño acrescentou que as Farc, que se transformaram no partido político , após a guerrilha abandonar as armas, rejeitaram "qualquer manifestação de ódio e de violência".

Além disso, disse que os ex-guerrilheiros perdoaram aqueles que eram seus "inimigos" e realizaram um "ato de contrição indispensável" para reconhecer seus "erros e pedir perdão a todos os homens e mulheres que de algum modo foram vítimas" de suas ações.

 

Governo colombiano e ELN anunciam acordo de cessar-fogo bilateral temporário

Papa pede reconciliação entre Colômbia e Farc

Cidade colombiana se prepara para ver população duplicar durante missa papal

 

Na carta, o ex-líder insurgente implorou ao papa para "convidar todo o povo colombiano a orar para que não se frustre o enorme esforço que envolveu formar a mesa de conversações" para o acordo de paz que o governo e Farc assinaram no ano passado.

Agência Efe

"Timochenko" durante o lançamento público do novo partido colombiano Força Alternativa Revolucionária do Comum


"Timochenko" se desculpou com o pontífice por não comparecer à sua excursão de cinco dias pela Colômbia e indicou que sua ausência se deve a "problemas de saúde", após ter sofrido um ataque isquêmico transitório em julho, do qual se recupera em Cuba.

Finalmente, disse ter certeza de que a passagem de Francisco pelo país marcará a história da Colômbia e que o amor professado pelo papa ao povo colombiano trará "a paz, a reconciliação e a justiça que tanto desejam os filhos e filhas desta pátria".

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

'Fatos alternativos' é a 'despalavra' de 2017

Termo estimula substituição de argumentos factuais por afirmações não comprovadas para manipular debate público, diz júri; iniciativa quer chamar atenção para palavras que ferem dignidade humana ou democracia

 

Sob a fumaça, a dependência

Não são apenas os fumantes que estão atrelados a um hábito do qual é difícil se livrar; o Brasil, líder global na exportação de tabaco, oculta sob os dados econômicos um quadro social de efeitos devastadores

 

Cientistas descobrem o que dizimou astecas

Após cinco séculos de mistério, equipe internacional de pesquisadores detecta bactéria, levada por europeus, que teria sido responsável pela morte de 15 milhões de pessoas em apenas cinco anos