Evo Morales refaz caminho trilhado por Che Guevara na Bolívia

Morales prestou homenagem aos 50 anos de morte de Che; caminhada foi para 'recordar a luta dos povos contra o império e em defesa de nossa dignidade'

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O presidente boliviano, Evo Morales, refez o caminho em que o guerrilheiro argentino, Ernesto Che Guevara, percorreu no interior do país antes de sua captura e morte, em 1967. A marcha partiu neste domingo (08/10) da cidade de Vallegrande, a 1.200 km de La Paz.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A marcha começou em Vallegrande, onde Che foi preso no dia 8 de outubro de 1967 e seguiu até La Higuera, local em que o guerrilheiro foi executado um dia depois de sua prisão. Para Morales, “50 anos depois, o legado de Ernesto Che Guevara vive nos jovens, em sua luta inalcançável pela igualdade e liberação dos povos”.

O presidente boliviano afirmou também que lembrar os 50 anos do assassinato de Che é “recordar a revolta e a rebelião dos povos indígenas frente o poder colonial espanhol; é recordar a luta pelos povos contra o império e em defesa de nossa dignidade, identidade e soberania”.

Agência Efe

A macha começou em Vallegrande, onde Che foi preso no dia 8 de outubro de 1967 e seguiu até La Higuera, local em que o guerrilheiro foi executado

Fotógrafo registra cenas de La Higuera, Bolívia, local onde Che foi morto há 50 anos; veja fotos

Cuba presta homenagem a Che Guevara no 50º aniversário de sua captura e morte

La Higuera, un lugar en el mundo

 

No trajeto de aproximadamente 60 km, Morales fez algumas pausas para homenagear os companheiros de Che, que estão enterrados na região. Também parou em La Higuera para depositar flores em um monumento que faz homenagem ao guerrilheiro.

A ministra de Comunicação da Bolívia, Gisela Lópes, afirmou que a homenagem serviu para carregar as energias e “continuar com a luta”. “O Che vive, a luta segue (...) continuar a luta significa renovar todo o espírito anti-imperialista que nos trouxe à Vallegrande”, declarou a ministra. 

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias