TV 247 debate os cem anos da Revolução Russa; assista

Participaram da conversa os jornalistas José Reinaldo Carvalho, secretário de Relações Internacionais do PCdoB, Breno Altman, fundador de Opera Mundi, Paulo Moreira Leite, colunista do 247, e Leonardo Attuch, editor do 247

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Por conta do centenário da Revolução Russa, a TV 247 promoveu na última quinta-feira (19/10) um debate com os jornalistas José Reinaldo Carvalho, secretário de Relações Internacionais do Partido Comunista do Brasil, Breno Altman, fundador de Opera Mundi, Paulo Moreira Leite, colunista do 247, e Leonardo Attuch, editor do 247.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Carvalho aponta a revolução bolchevique como o maior acontecimento histórico de todos os tempos, e não apenas do século 20, por ter conseguido levar ao poder o proletariado. Em sua análise, ele também destaca como a revolução socialista inspirou lutas contra o imperialismo em diversas partes do mundo.

Altman, por sua vez, destacou a influência da revolução russa no próprio Ocidente, com a construção de um estado de bem-estar social nos países europeus.

Assista:

Doria, que vai cortar ponto de quem parar no dia 28, sinalizou apoio a 'greve geral' no governo Dilma em 2013

ONU aceita denúncia de Lula contra Moro e procuradores da Lava Jato por abuso de poder

Imprensa internacional repercute petição de Lula na ONU contra Sérgio Moro

 

Reprodução

Da esq. para dir.: Carvalho, Altman, Attuch e Moreira Leite discutem a Revolução Russa

(*) Publicado em Brasil 247

Leia Mais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Rede de supermercados holandesa é acusada de racismo

Em material de curso para funcionários, empresa apresenta perfis de clientes, usando mulher e criança negras para representar os de menor poder aquisitivo; todas as demais categorias são associadas a pessoas brancas