Porto Rico diz que precisa de US$ 95 bilhões para se recuperar da passagem dos furacões

"Precisamos de mais recursos que o Texas, porque praticamente toda nossa infraestrutura precisa ser reparada", explicou o governador Ricardo Rosselló

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A ilha de Porto Rico ainda enfrenta os efeitos da passagem dos furacões Irma, no começo de setembro, e Maria, que atingiu o território porto-riquenho na última semana de setembro. Quase dois meses (54 dias), depois da passagem do furacão Maria, a maior parte da ilha ainda não tem água, energia elétrica e nem serviços de comunicação telefônica. O governo local anunciou que vai pedir US$ 94 bi ao Congresso para reconstrução do que foi perdido.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O governador Ricardo Rosselló afirmou, na última segunda-feira (13/11) que as perdas sofridas pela ilha ultrapassam as que atingiram o Texas, na passagem do Furacão Harvey, no mês de agosto. "Foi uma catástrofe enorme, possivelmente a maior da história de Porto Rico, que agora está devastada", disse, durante conferência de imprensa, na sede da Associação Nacional de Governadores (NGA, sigla em Inglês), em Washington.

O Texas pediu ao governo federal a liberação de US$ 61 bi para reparação das perdas deixadas pelo Harvey. "Precisamos de mais recursos que o Texas, porque praticamente toda nossa infraestrutura precisa ser reparada", explicou.

Rosselló apresentou um relatório que detalha os custos da reconstrução, e afirmou que os US$ 94 bi "ainda é um número conservador". O dinheiro pedido deverá ser usado para construção de habitações, reparação da geração de energia elétrica, estradas, serviços sanitários, saúde e educação.

Raúl Castro: Apelo ao nosso combativo povo

Porto Rico pede ajuda urgente dos EUA após furacão Maria

Cuba vai enviar médicos e eletricistas a Porto Rico para ajudar a reparar danos causados pelo furacão Maria

 

Coast Guard News/Flickr CC

Porto Rico foi rota de três furacões nos últimos meses

Pelo menos 150 mil pessoas abandonaram a ilha, segundo estimativa fornecida pelo governo, e pelo menos 5.000 estabelecimentos comerciais fecharam as portas. A ilha – que vive principalmente do turismo – já enfrenta uma taxa maior de desempregados, que deve chegar a 20%. O índice nacional de desemprego nos Estados Unidos, por exemplo, foi de 4,1% em outubro.

O Congresso já aprovou US$ 5 bi de ajuda para a ilha. Mas Rosselló diz que é insuficiente. Ele afirmou que o problema é que os recursos gerados pelas empresas, que estão na ilha, não são investidos em seu território. O governador pediu que a reforma tributária, que está na pauta do Congresso, crie algum mecanismo de proteção para que os recursos gerados no território de Porto Rico sejam investidos localmente.

Após a passagem de Irma e Maria, o presidente americano Donald Trump foi acusado de negligência pela imprensa e também por membros do governo local. Trump demorou, por exemplo, a suspender a proibição de que navios estrangeiros cheguem aos portos da ilha. Isso, segundo a população local afetou o abastecimento de água potável, alimentos e combustíveis.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990