OEA diz que 'irregularidades' não permitem 'certeza' sobre resultados da eleição em Honduras

Relatório da organização critica 'improvisação' e problemas de 'coordenação logística'; também segundo o documento, algumas maletas chegaram abertas e com votos faltantes

A Organização dos Estados Americanos (OEA) publicou nesta segunda-feira (04/12) um extenso informe sobre o processo eleitoral de Honduras, ocorrido no final de novembro (26/11). Segundo o relatório, algumas maletas estavam abertas e faltavam atas, o que não dá "certeza" sobre os resultados.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

“A estreita margem dos resultados, assim como as irregularidades, erros e problemas sistêmicos que rodearam esta eleição não permitem que a missão tenha certeza sobre os resultados”, afirmou Jorge Quiroga, representante da missão da OEA em Honduras.

O documento destaca que “se constatou que foi alterada a ordem de despacho e desembarque”. Além disso, “algumas maletas chegaram abertas e incompletas, em algumas ocasiões faltando a ata, as folhas de incidente e/ou os cadernos de votação, e que algumas não continham nenhum dos mecanismos de segurança”.

O órgão informou também que, como alternativa às maletas violadas ou sem mecanismos de segurança, solicitou ao TSE as atas escaneadas e o plano de desembarque dos caminhões.

OEA pede que TSE de Honduras reconte mais de 5 mil atas eleitorais; população faz protestos pelo país

Sistema de contagem de votos em Honduras foi apagado antes de presidente passar a liderar apuração, diz oposição

Policiais se negam a reprimir protestos em Honduras e pedem que urnas sejam respeitadas

 

OEA

Observadores da OEA disseram que processo em Honduras foi carregado de "irregularidades"

O documento critica também a falta de transparência do TSE, os problemas de logística e “os altos níveis de improvisação para resolver as situações”. Segundo os observadores, este improviso gerou demora para que as atas fossem escaneadas. Lembrou também do período de 10 horas onde o sistema caiu na quarta feira do dia 29, “gerando mais incertezas” sobre o processo.

“O TSE informou que esta situação se deveu a um problema técnico em um dos servidores, que alcançou sua capacidade máxima e teve que ser substituído por um novo. A missão não pode constatar a origem do problema, mas observou que o funcionamento voltou aproximadamente às 00:00 do dia seguinte”.

União Europeia 

A deputada portuguesa do Bloco de Esqueda Marisa Matias, líder da missão da União Europeia em Honduras, afirmou ver necessidade de uma recontagem dos votos e apontou irregularidades no processo eleitoral. "Para garantir a transparência deste processo e garantir que o voto dos hondurenhos foi respeitado, o Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) deve ter flexibilidade”.

Para ela, “a forma como se anunciou a vitória dos dois candidatos, completamente em contradição com a lei eleitoral –porque quem tem que anunciar o vencedor das eleições é o TSE -, mas também a incongruência que existe entre o tratamento que foi dado aos resultados por esse tribunal em 2013 e este ano tem gerado muita tensão entre a população, muita incerteza e movimentações nas ruas, como seria de se esperar”, destacou Marisa.





 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Democracia

Democracia

A construção e a defesa da democracia envolve muitas áreas: feminismo, educação, história. Conheça alguns títulos da Alameda Casa Editorial sobre o tema.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias