Teerã muda regras do código de roupas islâmicas para mulheres

Lei em vigor desde 1979 impõe regras de vestimenta; segundo anúncio, mulheres que deixarem de seguir código não serão mais presas

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

As mulheres da cidade de Teerã, capital do Irã, que deixarem de seguir as regras de vestimenta islâmica não serão mais presas ou processadas. O anúncio foi feito pelo chefe de polícia da cidade, Hossein Rahimi, na quinta-feira (28/12), segundo o jornal reformista Sharq.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

De acordo com a Revolução Islâmica de 1979, as mulheres devem seguir algumas regras ao se vestir, como por exemplo cobrir o corpo, não usar esmaltes nas unhas ou maquiagem pesada, e não usar lenços largos na cabeça.

A medida é um avanço, principalmente para jovens iranianas, que lutavam pela causa. A reeleição do candidato Hassan Rouhani à Presidência, em maio, também contribuiu para o quadro, pois ele tem adotado uma política de abertura.

Segundo a agência de notícias Tasnim, aquelas que violarem os códigos deverão seguir algumas instruções da polícia. Para o restante do Irã, a obrigação de respeito ao código islâmico ainda está em vigor.

Pelo quinto ano, presença feminina nas bases dos movimentos populares supera a masculina na Venezuela

Terremoto mata centenas na fronteira entre Irã e Iraque

Primeiro-ministro promete voltar ao Líbano em '2 dias'

 

Hamed Saber/Flickr

Segundo anúncio, mulheres que deixarem de seguir código não serão mais presas

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias