Presidente da Itália dissolve Parlamento e convoca eleições para março

Sergio Mattarella assinou decreto nesta quinta-feira (28/12), encerrando oficialmente 17ª legislatura da era republicana no país; governo foi marcado por crises e tentativas de aliança

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O presidente da Itália, Sergio Matarella, dissolveu o Parlamento na noite desta quinta-feira (28/12), encerrando a 17ª legislatura do país. Após o anúncio, o Conselho dos Ministros marcou a data das eleições italianas para 4 de março de 2018.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Mattarella podia dissolver o Parlamento em janeiro, mas antecipou a medida por avaliar que seu governo mostrou sinais de desgaste ao não conseguir mobilizar o Senado para votar suas propostas de lei. 

O decreto foi assinado após uma coletiva de fim de ano dada pelo primeiro-ministro Paolo Gentiloni. O premiê afirmou estar “orgulhoso” do trabalho feito nos últimos 12 meses à frente do governo italiano.

Foto: Presidenza Della Repubblica

Sergio Mattarella assinou decreto nesta quinta-feira (28/12), encerrando oficialmente 17ª legislatura da era republicana no país

'Corpo da mulher é última fronteira de conquista do capital', diz historiadora italiana Silvia Federici

Oito perguntas e respostas para entender as eleições no Chile

Separatistas ficam com 70 das 135 cadeiras do parlamento catalão

 

As eleições podiam ser convocadas para qualquer data em um período de 45 a 70 dias (entre 11 de fevereiro e 8 de março). O Conselho dos Ministros marcou a data para 04 de março, por ser o último domingo possível dentro deste prazo.  

Empossada em março de 2013, a 17° legislatura foi marcada por crises e reformas e teve três primeiros-ministros: Enrico Letta, Matteo Renzi e Paolo Gentiloni, todos do Partido Democrático (PD), de centro-esquerda.

A legenda conseguiu maioria na Câmara nas eleições de 2013, no entanto, o mesmo resultado não foi alcançado no Senado, o que obrigou o governo a buscar alianças para aprovação de seus projetos, muitas das quais não foram concretizadas.

(*) Com ANSA

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Os supersalários das Forças Armadas

Nossa reportagem levantou todos os salários de militares e encontrou centenas acima do teto, indenizações de mais de R$ 100 mil e valores milionários pagos no exterior