Itália: partidos de centro anunciam apoio a Renzi nas próximas eleições

Essa é a primeira aliança fechada por Renzi para as eleições de 2018, após dissidentes da esquerda do PD terem se unido para apoiar o presidente do Senado, Pietro Grasso

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Um grupo de partidos de centro e centro direita anunciou nesta sexta-feira (29/12) a criação de uma lista única para as eleições de março de 2018 na Itália, que apoiará o Partido Democrático (PD), liderado pelo ex-primeiro-ministro Matteo Renzi.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Encabeçada pela ministra da Saúde, Beatrice Lorenzin, a lista se chama "Cívica Popular" e é formada pelas legendas Alternativa Popular (AP), Centristas para a Europa (CpE), Democracia Solidária (DeS), Itália Popular (IP) e Itália dos Valores (IdV) - esta última foi fundada por Antonio Di Pietro, promotor da Operação Mãos Limpas, a "Lava Jato italiana", e que mais tarde deixou a sigla.

Lorenzin, 46 anos, é ministra da Saúde desde 2013 e pertencia ao partido do conservador Silvio Berlusconi, mas rompeu com o ex-primeiro-ministro após ele ter tentado derrubar o governo de Enrico Letta (2013-2014).

Reprodução

Essa é a primeira aliança fechada por Renzi para as eleições de 2018

Putin oficializa candidatura à reeleição em 2018

Bomba em supermercado de São Petersburgo fere ao menos 13

Presidente da Itália dissolve Parlamento e convoca eleições para março

 

"A lista é o primeiro passo para a constituição de uma força política de inspiração europeísta e reformista, para enfrentar a deriva populista e prosseguir no caminho de reconstrução civil, social e material do país", diz um comunicado oficial.

Essa é a primeira aliança fechada por Renzi para as eleições de 2018, após dissidentes da esquerda do PD terem se unido para apoiar o presidente do Senado, Pietro Grasso, em uma lista de oposição.

No entanto, o peso do apoio não deve ser determinante para o resultado das urnas, já que os partidos da "Cívica Popular", juntos, não passam de 5% das intenções de voto e correm o risco de não superar a cláusula de barreira de 3%.

As eleições legislativas estão marcadas para 4 de março de 2018.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias