Mais de 15% dos italianos sofrem com o frio em casa por não terem como pagar aquecimento, diz estudo

Número é quase o dobro da média europeia (8,7%) e um reflexo da crise econômica que atingiu o país nos últimos anos

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Um estudo divulgado nesta quinta-feira (04/01) pelo Gabinete de Estatísticas da União Europeia, o Eurostat, mostra que 16,1% dos italianos sofrem com o frio dentro de suas próprias casas.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O número é quase o dobro da média europeia (8,7%) e um reflexo da crise econômica que atingiu o país nos últimos anos, aumentando a quantidade de pessoas sem dinheiro para pagar pelo aquecimento de suas residências.

Em um ranking de países da Europa onde os cidadãos não conseguem esquentar suas casas adequadamente, a Itália só está à frente de Bulgária (39,2%), Lituânia (29,3%), Grécia (29,1%), Chipre (24,3%) e Portugal (22,5%). Os dados são referentes a 2016.

Os melhores números foram registrados na Finlândia (1,7%), na Alemanha (3,7%), na França (5%), no Reino Unido (6,1%) e na Polônia (7,1%). Antes da crise, esse índice era de 10,4% na Itália, cifra que subiu para o máximo histórico de 21,3% em 2012.

Julgamento da prefeita de Roma por falso testemunho é marcado para junho

Frio intenso leva caos à costa leste dos EUA

Itália encontra piloto britânico morto na Segunda Guerra

 

Giorgio Rodano/Flickr CC

Casas na região de Colfosco, no norte da Itália: 15% dos cidadãos não pode pagar por aquecimento

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Justiça da UE condena Alemanha por poluição da água

Tribunal de Justiça da União Europeia considera que Berlim não fez o suficiente para deter contaminação de águas subterrâneas por nitrato; índices continuam altos apesar de leis mais severas para fertilizantes agrícolas