Deputado constituinte é morto na Venezuela; governo fala em crime político e quer investigação

Segundo ministro, Lucena havia acabado de pegar seu filho no colégio e andava de carro acompanhado de sua esposa, quando foi interceptado por um grupo de quatro motociclistas armados

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O deputado da Assembleia Nacional Constituinte (ANC) da Venezuela Tomas Lucena foi assassinado nesta quarta-feira (10/01) na cidade de Valera, estado de Trujillos, oeste do país. O governo venezuelano exigiu das autoridades de segurança e dos órgãos de justiça que se investigue a morte de Lucena, a qual considera um "assassinato político".


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Nós exigimos que se investigue o assassinato político como a provável causa do homicídio que acabou com a vida desse jovem de 31 anos", disse o ministro da Comunicação e Informação da Venezuela, Jorge Rodríguez, em comunicado lido na rede de televisão estatal VTV.

Segundo o ministro, Lucena havia acabado de pegar o filho no colégio e andava de carro acompanhado da esposa quando foi interceptado por um grupo de quatro motociclistas armados e atingido por quatro tiros no peito. "Alguns matadores em motocicletas lhe deram quatro disparos contra o tórax, o que ocasionou sua morte", afirmou Rodríguez.

Reprodução/Twitter

Lucena (de óculos) havia acabado de apanhar seu filho no colégio e andava de carro acompanhado de sua esposa, quando foi interceptado por um grupo de quatro motociclistas armados

Bolívia reduz mortalidade infantil em 52%

Agências internacionais de notícias publicam 'mentiras' sobre Venezuela, diz Maduro

FBI não encontra provas de suposto 'ataque sônico' contra embaixada dos EUA em Cuba

 

Tomas Lucena tinha 31 anos e era deputado da ANC pelo município de Escuque, no estado de Trujillo. Filiado ao prtido governista PSUV, o deputado era formado em direito e foi líder juvenil comunitário em sua região. Era casado e tinha 3 filhos.

A presidente da ANC, Delcy Rodríguez, também manifestou sua indignação perante o assassinato de Lucena. "Repudiamos o vil assassinato de Constituinte por Trujillo, Tomas Lucena. Estendemos nossas condolescências a seus pais, esposa, filhos e amigos", escreveu Rodríguez em sua conta no Twitter.

O governador do estado de Trujillo, Henry Rangel Silva, expressou solidariedade aos familiares de Lucena e afirmou que o cirme não ficará impune. "Repudimaos de maneira profunda o assassinato do jovem constituinte do município de Escuque, Tomás Lucena. Não permitiremos que esse crime fique impune. Nossa solidariedade a todos seus entes queridos. Honra e glória a Tomas!", disse o governador nas redes sociais.

(*) Com informações de teleSur

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

A música nos livros

A música nos livros

Música clássica, música popular, música engajada, música e política, música num romance policial. Se você gosta de música, não pode deixar de conhecer esses 20 títulos da editora Alameda. Clique aqui e confira. O frete é grátis.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias