Turquia inicia operação militar terrestre e aérea contra curdos na Síria

No início deste sábado, presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que exército do país havia iniciado operação contra os curdos sírios em Afrin; objetivo de Ancara é enfraquecer o PYD, braço do Partido dos Trabalhadores do Curdistão

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A Turquia iniciou neste sábado (20/01) uma operação militar terrestre e aérea contra postos curdos na cidade de Afrin, no noroeste da Síria. O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, anunciou que os caças da Força Aérea do país bombardearam focos das Unidades de Proteção Popular (YPG) e do Partido de União Democrática (PYD) dos curdos sírios na região.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"A partir deste momento, as Forças Armadas turcas heróicas lançaram uma operação aérea para destruir os elementos do PYD / PKK e do Daesh em Afrin", afirmou Yildirim. Além disso, foi anunciado que o Exército Livre da Síria, que é apoiado por turcos, havia iniciado um avanço militar no povoado curdo da região.
 
O objetivo de Ancara é enfraquecer o PYD, braço do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no norte da Síria.

No início deste sábado, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que o exército do país havia iniciado a operação contra os curdos sírios em Afrin. Segundo o jornal turco Hurriyet, os jatos F-16 do país conduziram os ataques contra seis alvos na cidade de Afrin, acrescentando que, simultaneamente, as Forças Armadas turcas lançaram o bombardeio de artilharia da província de Kilis, na fronteira com a Síria.

Wikicommons

Forças Armadas turcas lançaram o bombardeio de artilharia da província de Kilis, na fronteira com a Síria

Aiatolá acusa 'inimigos externos' de fomentarem violência no Irã

Rússia e Turquia advertem contra interferência no Irã

Turquia bombardeia alvos curdos no norte da Síria e prepara intervenção militar

 

As aeronaves turcas atingiram um posto de observação do PYD no distrito de Afrin, ao norte da Síria, informou a agência de notícias Anadolu.

A notícia chega depois que Erdogan confirmou oficialmente o início da operação na região, acrescentando que a investida seria seguida por outra na cidade síria de Manbij, controlada pelos curdos.

A Turquia ameaçou lançar a ofensiva em Afrin desde a semana passada, após o anúncio dos EUA sobre sua decisão de começar a treinar uma força de proteção de fronteira composta pelas Forças Democráticas Sírias (SDF) apoiadas pelos EUA, afiliadas com as Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), que é considerado um grupo terrorista pela Turquia.

Reagindo ao anúncio, a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Heather Nauert, pediu ao país que não se envolva em nenhuma invasão na cidade de Afrin, fazendo eco a uma declaração feita pelo secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, que também assegurou que os Estados Unidos não tinham intenção de construir uma força de fronteira, dizendo que a questão, que irritou Ancara, foi "mal interpretada".

(*)Com informações de Sputnik e ANSA

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990