Partido dá a Jacob Zuma até quarta-feira para renunciar à Presidência da África do Sul

rfi - português do brasil
Presidente de 75 anos está enfraquecido após uma série de escândalos de corrupção envolvendo seu nome

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O partido Conselho Nacional Africano (ANC) decidiu na noite desta segunda-feira (12/02) dar um prazo de 48 horas (que termina à meia noite de quarta-feira, hora de Pretória) para que o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, deixe o cargo. Acusado de envolvimento em um escândalo de corrupção, o chefe de Estado tenta se manter no poder.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Após nove horas de negociações, os representantes do ANC decidiram dar dois dias para que que Zuma deixe o cargo, segundo informações do canal de televisão local SABC. O presidente de 75 anos está enfraquecido após uma série de escândalos de corrupção envolvendo seu nome.

O chefe de Estado foi substituído na chefia do ANC em dezembro por seu vice-presidente, Cyril Ramaphosa. Desde a semana passada, o vice, está em discussão direta com Zuma para negociar os termos da demissão e assegurar a transição na liderança da África do Sul.

Presidente do Curdistão iraquiano anuncia que não estenderá seu mandato

Vice-premiê da Irlanda renuncia para evitar novas eleições

Acusado de corrupção, presidente sul-africano é pressionado para deixar cargo

 

GovernmentZA

Zuma tem 48 horas, contadas a partir da noite de segunda, para renunciar ao cargo de presidente

O conselho nacional executivo do ANC tem o poder de pedir a demissão de Zuma da presidência. No entanto, o partido tem todo o interesse para que o chefe de Estado se demita sem ser forçado. O equivalente a um impeachment acentuaria as divisões internas do partido, no poder desde o fim do regime do Apartheid, em 1994. 

Segundo a imprensa local, Zuma teria feito uma lista de exigências para deixar o poder. Uma das condições seria sua imunidade.

Essa não é a primeira vez que um presidente sul-africano é pressionado a se demitir. Em 2008, após ser eleito na liderança do ANC, Zuma participou das manobras para afastar Thabo Mbeki da presidência. Desde então, várias denúncias envolveram seu nome. 

(*) Publicada na RFI

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990