Município italiano revoga cidadania honorária de Mussolini

Legendas Partido Democrático, Livres e Iguais, ambas de esquerda, e Movimento 5 Estrelas, além de uma lista de oposição cívica, votaram a favor da revogação; conservadores deixaram a sessão durante votação

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A Câmara Municipal de Certaldo, na província de Florença, aprovou nesta terça-feira (20/02) a revogação da cidadania honorária concedida em 1924 a Benito Mussolini.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Alguns cidadãos iniciaram uma busca pelos arquivos históricos municipais e encontraram uma resolução que permanecia em vigor desde então. A votação, que começou por volta das 21h30 (horário local), na noite da última segunda-feira (19), foi marcada por uma longa discussão.

As legendas Partido Democrático (PD), Livres e Iguais (LeU), ambas de esquerda, e o Movimento 5 Estrelas (M5S), além de uma lista de oposição cívica, votaram a favor da revogação. Já representantes do conservador Força Itália (FI), de Silvio Berlusconi, deixaram a sessão no momento da votação.

Wikicommons

Em buscas históricas, cidadãos encontraram título de cidadão concedido a ditador que ainda estava em vigor

Multidão protesta na Itália contra fascismo e racismo

Holanda aprova lei que torna doação de órgãos automática

Pesquisa põe AfD como segunda força política na Alemanha

 

"Para mim, hoje se preocupam com fatos diferentes, votam na revogação e negam os fatos da história", disse a vereadora Lucia Masini, do FI, momentos antes de deixar a sala.

Já o prefeito Giacomo Cucini declarou que rejeita "fortemente esta cidadania histórica, reafirmando ser um ato simbólico, mas ao mesmo tempo concreto"

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990