Em meio à tensão entre os dois países, embaixadora dos EUA no México renuncia ao cargo

Roberta Jacobson sai do cargo em um momento em que a relação entre Washington e Cidade do México atravessa uma crise, por conta das renegociações do NAFTA e do muro

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A embaixadora dos Estados Unidos no México, Roberta Jacobson, renunciou ao cargo nesta quinta-feira (01/03), em meio às tensas relações envolvendo ambos os países.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Membro do governo norte-americano por 31 anos, Jacobson afirmou que irá deixar o cargo no dia 1º de maio, se juntando a uma longa lista de autoridades do Departamento de Estado que deixaram o cargo durante o mandato de Donald Trump.

"Após 31 anos de serviços ao governo dos EUA, irei sair no começo de maio em busca de novas oportunidades. Eu saio sabendo que a relação EUA-México é forte e crucial", escreveu Jacobson no Twitter.

Apesar da embaixadora não ter dito quem iria irá substituí-lo, o jornal mexicano Reforma fala no nome de Ed Whitacre, ex-presidente-executivo da empresa de telecomunicações AT&T, para ser o novo embaixador dos Estados Unidos no México.

A saída de Jacobson acontece em um momento tenso entre mexicanos e norte-americanos. Tudo começou pelas ameaças de Trump de abandonar o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta) e forçar que o México pague pela construção do muro que poderá dividir a fronteira de ambos os países.

State.gov

Roberta Jackson renunciou ao cargo de embaixadora norte-americana no México

Embaixada dos EUA mudará para Jerusalém em 14 de maio

Justiça dos EUA rejeita recurso de Trump contra proteção de imigrantes

Trump anuncia tarifas à importação de aço e alumínio

 

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990