Oregon é o primeiro estado dos EUA a aprovar lei de controle de armas após tiroteio na Flórida

Medida proíbe que agressores domésticos e pessoas que estão sob ordens de restrição possam ter armas de fogo; projeto foi aprovado pelo parlamento estadual

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O governo de Oregon, nos Estados Unidos, proibiu na noite desta segunda-feira (05/02) a compra e a posse de armas de fogo e munições para qualquer pessoa com antecedentes criminais. 


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Com isso, o estado se torna o primeiro do país a adotar uma lei de controle de armas após o tiroteio da Flórida. 

O projeto foi aprovado pelo parlamento estadual e tornou-se lei após a assinatura da governadora democrata Kate Brown. No mesmo momento, uma multidão se reunia em frente ao Capitólio de Salem para apoiar a decisão.

A medida proíbe que agressores domésticos e pessoas que estão sob ordens de restrição possam ter armas de fogo.

Flickr/Elvert Barnes

A medida proíbe que agressores domésticos e pessoas que estão sob ordens de restrição possam ter armas de fogo

Justiça dos EUA rejeita recurso de Trump contra proteção de imigrantes

Trump anuncia tarifas à importação de aço e alumínio

China avisa que não ficará indiferente às ameaças dos EUA sobre exportações

 

O processo já estava em tramite antes mesmo do massacre em uma escola na Flórida, que deixou 17 mortes. No entanto, o tiroteio foi um dos motivos que levou milhares de pessoas a protestarem a favor de um controle de armas mais eficaz no país, embora o tema enfrente resistência no Congresso.

No início do mês, inclusive, o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que fará um decreto contra os "bump stocks" - acessório que transforma armas semiautomáticas em automáticas

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990