Presidente do Peru é alvo de novo pedido de destituição

Deutsche Welle
Trata-se da segunda moção para destituir Pedro Pablo Kuczynski apresentada pela oposição em três meses, devido a seus supostos vínculos com a Odebrecht; desta vez, processo conta com apoio do fujimorismo

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Parlamentares da oposição apresentaram nesta quinta-feira (08/03) uma moção de cassação contra o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, por permanente incapacidade moral, devido ao seu suposto envolvimento num escândalo protagonizado pela construtora brasileira Odebrecht.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A moção recebeu 28 assinaturas de apoio, duas a mais que o mínimo requerido. O pedido é apoiado por parlamentares do Força Popular, Frente Ampla, Novo Peru, Aliança para o Progresso, Partido Aprista e independentes.

Trata-se da segunda moção de destituição contra o presidente apresentada em apenas três meses. Em dezembro, o Congresso peruano debateu um primeiro pedido, do qual Kuczynski se salvou graças à abstenção de dez legisladores do fujimorismo.

picture alliance/dpa/Agentur Andina/P. Presidencia

Kuczynski nega acusações de envolvimento em escândalo

Peru: polícia impede que estudantes criem mural contra indulto dado a Fujimori

Peru: Em meio a racha, Kenji Fujimori é expulso do partido Força Popular pela irmã

Tribunal peruano ordena que Fujimori seja processado por crimes de lesa-humanidade

 

Três dias após se salvar da destituição, Kuczynski concedeu um indulto humanitário ao ex-presidente Alberto Fujimori, condenado a 25 anos de prisão por crimes contra a humanidade. A medida levantou a suspeita de que o presidente teria feito um pacto com o parlamentar Kenji Fujimori, filho do ex-presidente, para permanecer no cargo.

A admissão da moção apresentada nesta quinta-feira será votada no plenário e posteriormente se fixará outra sessão para seu debate e votação. O pedido de destituição requer o voto de 87 legisladores, de um total de 130, para ser aprovado, e o convocado a assumir o Executivo seria o vice-presidente, Martín Vizcarra, atual embaixador do Peru no Canadá.

O parlamentar César Villanueva, do Aliança para o Progresso, disse que o Força Popular, da ex-candidata presidencial Keiko Fujimori, decidiu por unanimidade apoiar a apresentação e a admissão para debate da moção de cassação.

A primeira-ministra, Mercedes Aráoz, acusou a oposição de provocar "uma espécie de golpe de Estado" e gerar instabilidade com a apresentação da moção. Kuczynski reiterou na quarta-feira que não vai renunciar ao cargo e que não há nenhuma justificativa para sua destituição.

Odebrecht

O presidente peruano é acusado de ter recebido mais de 782 mil dólares da Odebrecht, por serviços de consultoria realizados entre 2004 e 2007. Ele nega as acusações. Os depósitos aparecem num documento da construtora brasileira que foi enviado à comissão parlamentar que investiga os desdobramentos da Operação Lava Jato no Peru.

Os pagamentos pelas consultorias da Westfield Capital, empresa de Kuczynski, aconteceram entre novembro de 2004 e dezembro de 2007, e coincidem com o período em que o presidente ocupou os cargos de ministro da Economia e, posteriormente, de primeiro-ministro, durante o governo do ex-presidente Alejandro Toledo (2001-2006).

A Odebrecht, a maior construtora da América Latina, admitiu em 2016 ter pagado subornos de mais de 785 milhões de dólares em 12 países desde 2001 – dez deles latino-americanos – para assegurar contratos de obras públicas. No Peru, entre os anos de 2005 e 2014, a empreiteira desembolsou propinas no valor de 29 milhões de dólares a funcionários do governo.

CN/efe/dpa

 

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990