Trump aceita convite de Kim Jong-un e deve encontrar líder norte-coreano em maio

Não se sabe, ainda, onde encontro vai ocorrer ; é a primeira reunião entre um mandatário dos EUA no exercício do cargo e um presidente norte-coreano da história

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aceitou um convite do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, para uma reunião sobre a "desnuclearização" da Península Coreana. O encontro deve acontecer em maio.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira (08/03) - sexta-feira no horário de Seul -, pelo conselheiro para Segurança Nacional da Coreia do Sul, Chung Eui-yong, que, no início da semana, chefiara uma missão diplomática em Pyongyang e se reunira pessoalmente com Kim.

Se acontecer, esta será a primeira reunião na história entre um presidente dos Estados Unidos no exercício do cargo e um líder norte-coreano - Bill Clinton chegou a se encontrar com o pai de Kim Jong-un, Kim Jong-il, em 2009, quando já havia deixado o poder.

Em breve pronunciamento à imprensa, Chung disse que o líder norte-coreano propôs se reunir com Trump "o mais rápido possível", além de ter prometido uma moratória em suas atividades nucleares e balísticas. "O presidente Trump disse que se encontraria com Kim Jong-un em maio, para obter a desnuclearização permanente [da Península]", acrescentou o conselheiro.

Ele não detalhou onde acontecerá a reunião nem se ela será bilateral ou envolverá também o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, mas a notícia representa um ponto de virada significativo após um ano de ofensas e ameaças de destruição mútua entre Washington e Pyongyang.

Ao longo de 2017, a Coreia do Norte avançou em seu programa militar e testou, com sucesso, mísseis intercontinentais capazes de atingir o território dos Estados Unidos, além de ter realizado a detonação nuclear mais potente de sua história, supostamente com uma bomba de hidrogênio.

O passaporte de Kim Jong-un e a irresponsabilidade da Reuters

Coreias do Sul e do Norte vão fazer em abril primeira reunião de cúpula em uma década, anuncia Seul

Coreias desfilarão separadas em Jogos Paralímpicos de Pyeongchang

 

Reprodução

Kim Jong-un e Donald Trump devem se encontrar em maio

Em resposta, Trump patrocinou uma série de sanções econômicas das Nações Unidas contra a Coreia do Norte, que podem ter abalado ainda mais uma economia já fragilizada. Além disso, se envolveu em uma batalha retórica com Kim, chamando o norte-coreano de "pequeno homem foguete" e ameaçando atacar o país asiático com "fogo e fúria nunca antes vistos".

Por sua vez, o líder da Coreia do Norte prometera bombardear Guam, território ultramarino dos EUA no Oceano Pacífico, levantando ventos de guerra na região. Recorrentes exercícios militares e o envio de submarinos nucleares dos Estados Unidos também aumentaram os temores sobre um conflito iminente.

Diálogo

O clima de tensão na península coreana só arrefeceu no início de 2018, quando Kim desejou boa sorte para o Sul na realização dos Jogos de Inverno de PyeongChang, entre 9 e 25 de fevereiro. A declaração abriu as portas para a reaproximação entre Seul e Pyongyang, que culminou na participação de atletas do Norte nas Olimpíadas.

Na última segunda-feira (5), Kim recebeu uma delegação enviada por Seul pela primeira vez desde sua ascensão ao poder, em 2011. A reabertura do diálogo chega no momento em que a Coreia do Norte já atingiu um estágio avançado em seu programa armamentista, mas também em meio às sanções da ONU, aprovadas inclusive com o apoio da China, principal parceira comercial de Pyongyang.

(*) Com Ansa

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Justiça da UE condena Alemanha por poluição da água

Tribunal de Justiça da União Europeia considera que Berlim não fez o suficiente para deter contaminação de águas subterrâneas por nitrato; índices continuam altos apesar de leis mais severas para fertilizantes agrícolas