Ataque na Síria 'não foi um ato de guerra' contra Assad, diz Macron

rfi - português do brasil
'Operação foi perfeitamente conduzida, como poucos países são capazes de fazer', declarou presidente francês

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O presidente francês Emmanuel Macron deu uma longa entrevista na noite deste domingo (15/04) ao canal de televisão BFM, à rádio RMC e ao site Mediapart. Além de abordar questões da política interna, o chefe de Estado respondeu às críticas dos jornalistas sobre a ofensiva ocidental conjunta lançada pela França, Estados Unidos e Reino Unido.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Em um cenário instalado no Teatro Chaillot, em Paris, com a Torre Eiffel ao fundo, o presidente francês foi sabatinado pelos jornalistas Jean-Jacques Bourdin (BFMTV e RMC) et Edwy Plenel (Mediapart). A entrevista já estava prevista bem antes dos ataques lançados contra o território sírio, na noite de sexta-feira (13/04). No entanto, a ofensiva, que visava interromper o suposto uso de armas químicas por Damasco, se convidou ao debate e abriu o programa.

“A operação foi perfeitamente conduzida, como poucos países são capazes de fazer”, declarou Macron, que fala de um “sucesso do ponto de vista militar”. Ao ser questionado sobre o suposto uso de armas químicas pelo regime sírio contra população, presidente insistiu que a França possui as provas de que a utilização dessas armas "poderia ser atribuída ao regime sírio". 

Em seguida, ao ser acusado de tentar, com a operação, desempenhar o papel “a polícia do mundo”, substituindo os organismos multilaterais, como as Nações Unidas, o presidente francês rebateu energicamente. Ele frisou que a ofensiva foi realizada “junto com a comunidade internacional” e que a população não deve esquecer que trata-se de uma guerra contra ao grupo Estado Islâmico.

Livro relembra Libero Giancarlo Castilia, guerrilheiro italiano assassinado pela ditadura brasileira

Novos ataques à Síria gerariam caos internacional, diz Putin

Movimentos sociais fazem homenagem a Marielle Franco em Buenos Aires

 

Arno Mikkor/EU2017EE

Macron diz que "não declarou guerra" à Síria

“Lembro que eles atacaram nosso país”, martelou Macron, em alusão aos atos terroristas perpetrados na França. “Nós temos a plena legitimidade da comunidade internacional para lançar essa operação”.

Um dos jornalistas perguntou ao presidente francês se era possível manter a paz, mesmo tendo protagonizado um ato de guerra. “Vocês me viram declarar guerra a Assad? Não é um ato de guerra”, rebateu Macron.

Poder não pode ficar nas mãos de Assad, diz Macron

“Mas não podemos deixar o poder na Síria ficar concentrado apenas nas mãos de Assad”, ponderou o chefe de Estado. “Nós preparamos hoje uma solução política para uma transição na Síria”, disse o presidente francês, lembrando que a ofensiva foi lançada “para que o direito internacional não seja esquecido”.

O presidente francês também explicou seu papel durante as negociações sobre a operação. Segundo ele, a França convenceu o norte-americano Donald Trump “que os ataques deveriam se limitar às armas químicas”. Macron também disse ter incitado o chefe da Casa Branca a “continuar na Síria”, mesmo Washington havia declarado recentemente que pretendia tirar suas tropas do país.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Os supersalários das Forças Armadas

Nossa reportagem levantou todos os salários de militares e encontrou centenas acima do teto, indenizações de mais de R$ 100 mil e valores milionários pagos no exterior