Teatro alemão oferece entrada gratuita a quem usar suástica

Deutsche Welle
Peça satírica sobre juventude de Hitler estreia na Alemanha em meio a polêmica: quem vestir símbolo nazista entra de graça, quem pagar é convidado a usar Estrela de Davi; teatro defende ideia como experimento social

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Apesar das críticas, estreia nesta sexta-feira (20/04) na cidade de Constança, no sul da Alemanha, uma peça satírica sobre a juventude de Adolf Hitler, intitulada Minha luta (Mein Kampf) – mesmo nome do controverso livro escrito pelo ditador nazista nos anos 1920.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O espetáculo, escrito pelo húngaro George Tabori, morto em 2007, esteve no centro de uma polêmica nesta semana, depois que o teatro prometeu oferecer entrada gratuita aos espectadores que concordassem em vestir uma braçadeira com uma suástica nazista ao longo da apresentação.

Aqueles que preferirem pagar pelo ingresso serão convidados a usar uma Estrela de Davi, símbolo judaico, "como um sinal de solidariedade às vítimas da tirania do nacional-socialismo", afirma o teatro municipal de Constança em sua página na internet.

Ambos os símbolos serão entregues ao público na entrada do auditório, antes do início do espetáculo, e devem ser devolvidos na saída.

A promotoria alemã informou ter recebido uma série de queixas contra a peça, que estreia na data em que Hitler faria aniversário, 20 de abril. Em carta aberta, a Sociedade Alemã-Israelense da região pediu um boicote ao espetáculo, tachando a atitude do teatro como de mau gosto.

O teatro se defendeu afirmando se tratar de um experimento social. Segundo uma porta-voz, a intenção dos produtores ao oferecer ingresso gratuito em troca do uso da suástica é mostrar como as pessoas podem ser facilmente corrompidas.

Morre, aos 85 anos, o escritor Philip Roth

Análise de dentes desbanca de vez mito sobre Hitler

Bloco liderado por clérigo anti-EUA vence eleições no Iraque

 

picture-alliance/dpa/F. Kästle

Peça leva o mesmo título do livro mais controverso da história alemã, "Minha luta", de Hitler

Em entrevista à emissora SWR, a diretoria do teatro municipal afirmou que o número de espectadores dispostos a trajar o símbolo nazista foi surpreendente e assustador.

Apesar das críticas, a promotoria decidiu nesta quarta-feira que não abriria uma investigação criminal contra o teatro, alegando que a ideia é aceitável no que diz respeito à liberdade artística.

Segundo a lei alemã, a exibição pública de suásticas e outros símbolos nazistas é ilegal no país, a menos que seja feita como parte de uma apresentação artística coberta por garantias constitucionais de liberdade de expressão.

O teatro de Constança descreveu a peça de Tabori, baseada na autobiografia de Hitler e dirigida agora por Serdar Somuncu, como uma caricatura do líder nazista durante sua juventude.

A obra mostra "que nós não estamos livres de ideologias que, concentradas em uma única personalidade, podem se transformar em horrores históricos mesmo nos dias de hoje", afirma o teatro.

EK/afp/dpa/ots

Leia Mais

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

O primeiro inverno

O outono ensolarado e de gelo faz um negócio com os corpos: ainda que haja tanto frio o calor do sol nos alegra os poros, como se se depositasse feito amante num hotel, deslizando sobre nossa pele