Argentina: Macri recorre a FMI para tentar debelar crise cambial; empréstimo deve chegar a US$ 30 bi

O anúncio vem em meio a uma crise cambial que, durante os últimos meses, fez o preço do dólar subir rapidamente

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O presidente da Argentina, Maurício Macri, anunciou nesta terça-feira (08/05) que seu governo iniciou negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para receber um empréstimo de ao menos US$ 30 bilhões para tentar debelar a crise cambial no país.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

“Diante dessa nova situação internacional e, de maneira preventiva, decidi iniciar conversas com o FMI para que nos concedam uma linha de apoio financeiro”, disse o mandatário em comunicado oficial.

Macri ainda afirmou que conversou com “Cristine Lagarde, sua diretora [do FMI]. Nos confirmou que vamos começar a trabalhar hoje mesmo em um acordo”.

Wikicommons

O anúncio vem em meio a uma crise cambial em que, durante os últimos meses, fez o país o preço do dólar subir rapidamente

Governo da Colômbia e ELN vão retomar diálogos de paz em Cuba

Argentina: em meio a crise cambial, reprovação de Macri chega a 54,9%, mostra pesquisa

Paraguai anuncia transferência de embaixada em Israel para Jerusalém

 

Crise cambial

Antes do anúncio de Macri, o dólar operava na casa dos $23,50 (após ter fechado em $22,30) e caiu a $22,46. Nos últimos meses, o peso argentino sofreu uma forte desvalorização em relação à moeda norte-americana, que subiu de janeiro a março deste ano 10,29%. No período de um ano, o dólar se valorizou 32,78%.

O aumento levou o governo argentino a elevar a taxa de juros três vezes em uma semana para tentar conter a valorização. Foram 12,75 pontos percentuais de alta, elevando a taxa de 27,25% a 40% ao ano. Para efeito de comparação, a Selic, que é a taxa básica de juros no Brasil, está em 6,5% ao ano.

Além disso, no final da última semana, o ministro da Economia da Argentina, Nicolás Dujovne, anunciou um corte de gastos de 3,2 bilhões de dólares (11,3 bilhões de reais), que irá afetar principalmente as obras públicas do país. A meta de déficit fiscal para este ano foi reduzida de 3,2% para 2,7% do PIB.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias