Independentista Quim Torra é eleito novo presidente da Catalunha

Novo mandatário obteve 66 votos a favor e 65 contra; apoiado por Puigdemont, Torra prometeu continuar lutando para 'construir um Estado independente'

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O Parlamento da Catalunha elegeu nesta segunda-feira (14/05) o advogado Quim Torra, de 55 anos, como o novo presidente da região.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Apoiado por Carles Puigdemont, ex-mandatário que foi destituído em 2017, Torra prometeu continuar lutando para "construir um Estado independente" da Espanha.

O novo presidente regional catalão obteve 66 votos a favor e 65 contra, além de quatro abstenções.

Em discurso antes do seu voto, Torra citou "presos políticos e exilados" em referência a membros do antigo governo que foram forçados a deixar a Catalunha.

Reprodução

Apoiado por Puigdemont, Torra prometeu continuar lutando para 'construir um Estado independente'

Grupo separatista basco ETA fala em 'fim de ciclo histórico' e anuncia dissolução completa

Veneza abre vagas para 'aspirantes a gondoleiros'

Denúncias de estupro crescem quase 30% na Espanha

 

O novo mandatário agora tem cinco dias para constituir um novo governo. Entretanto, Torra só poderá tomar posse depois da publicação da eleição de hoje no Diário Oficial da Generalitat (parlamento catalão), controlado por Madri. Além disso, o nome do novo presidente terá de ser confirmado pelo rei Felipe IV e pelo governo de Madrid.

Torra, nascido em 1962, é advogado, escritor e muito próximo a Puigdemont. Ele é filiado ao movimento independentista "Juntos pela Catalunha", e foi presidente da entidade Òmnium Cultural, responsável por convocar manifestações pró-secessão.

*Com ANSA

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Lugar de fala e a fala do lugar

Eu não posso nunca esquecer que essa palavra que trago como meu ofício de mundo não pode ser menos que o fio afiado da lâmina, mas não qualquer lâmina