'Cooperação internacional não pode depender de ataques de raiva' de Trump, afirma governo francês

Presidente norte-americano voltou a fazer ameaças a países aliados horas depois de se comprometer em retirar tarifas alfandegárias e suprimir subsídios

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Em um comunicado emitido pelo Palácio do Eliseu neste domingo (10/06), o governo da França afirmou que “a cooperação internacional não pode depender de ataques de raiva e palavras mesquinhas” do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O mandatário norte-americano se retirou no último sábado (09/06) do acordo final que ele mesmo havia aprovado horas antes de deixar a Cúpula do G7, que ocorreu no Canadá, com a participação dos líderes de sete países (Estados Unidos, Canadá, Japão, França, Alemanha, Reino Unido e Itália).

“Nós passamos dois dias negociando para obter um texto e compromissos. Vamos permanecer ligados a ele, e qualquer um que der as costas mostra sua incoerência e inconsistência. A França e a Europa continuam a apoiar este comunicado, como esperamos de todos os membros signatários”, afirma o comunicado do Palácio do Eliseu.

Gage Skidmore/CC

Presidente norte-americano voltou a fazer ameaças a países aliados horas depois de se comprometer em retirar tarifas alfandegárias e suprimir subsídios

50 Anos de 68: Movimentos como Black Lives Matter incorporaram legado de Luther King, diz historiadora

A Fera

China, Rússia e Irã avaliam respostas às políticas de Trump

 

O grupo discutiu políticas que levassem ao fim do protecionismo comercial adotado pelos EUA e se comprometeu a “modernizar” a Organização Mundial do Comércio (OMC). Durante a cúpula, Trump adotou um tom conciliador e afirmou que pretendia “eliminar tarifas alfandegárias, eliminar barreiras não-tarifárias e suprimir subsídios”.

No entanto, após se retirar do encontro, Trump retomou as ameaças de guerra comercial, lançou uma série de novas advertências aos países aliados, e chamou Justin Trudeau, o líder canadense responsável por presidir a cúpula, de “desonesto e fraco”.

“Baseado nas falsas declarações de Justin em sua coletiva de imprensa e no fato de que o Canadá cobra tarifas enormes de nossos fazendeiros, trabalhadores e companhias, ordenei nossos representantes a não apoiarem o comunicado”, afirmou o norte-americano por meio de seu Twitter.

O mandatário também reiterou a ameaça de impor tarifas “aos carros que inundam o mercado americano”, em uma referência à Alemanha, que possui um enorme mercado de exportação de veículos.

“Não seremos maltratados”

Durante uma entrevista coletiva, Trudeau afirmou que embora os canadenses sejam gentis e razoáveis, não serão maltratados. “Disse diretamente ao presidente americano que os canadenses não deixarão facilmente que os Estados Unidos sigam adiante com tarifas significativas contra nossa indústria de aço e alumínio e não deixarão que isso aconteça por supostas razões que envolvam segurança nacional”, afirmou.

Após abandonar o pacto de Paris sobre mudanças climáticas e o acordo nuclear iraniano, este é o terceiro acordo ao qual Trump se retira, causando tensão entre os países aliados. 

Veja vídeo em que Breno Altman, fundador de Opera Mundi, comenta o primeiro ano de Donald Trump à frente do governo norte-americano:

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

'Trump me disse para processar a UE', afirma May

Após presidente dos EUA declarar que primeira-ministra do Reino Unido ignorou conselho dele sobre o Brexit, líder britânica revela qual foi a sugestão do americano: não entrar em negociações com a União Europeia