Nicolás Maduro convoca IV Congresso do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV)

Objetivo do Congresso é levar a Revolução Bolivariana para uma nova etapa política e de buscar os caminhos para resolução dos principais desafios do país

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Após a vitória eleitoral do último dia 20 de maio, o chavismo garantiu-se à frente da Presidência do governo venezuelano por mais seis anos, se consolidando como a primeira força política do país. Além da Presidência da República, o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) tem também a maioria dos governos estaduais, prefeituras e representantes na Assembleia Nacional Constituinte.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Diante de tamanha expressão e força política, a responsabilidade do partido aumenta ainda mais agora. No sentido de preparar as engrenagens da organização para o próximo período, o presidente eleito Nicolás Maduro convocou nesse sábado (09/06) o IV Congresso do PSUV, com o objetivo de levar a Revolução Bolivariana para uma nova etapa política e de buscar os caminhos para resolução dos principais desafios do país.

O Congresso do PSUV é o órgão máximo de direção do partido, sendo que a sua 4ª edição será realizada durante os dias 28 a 30 de julho. No entanto, o “Congresso Socialista” terá uma fase preparatória que deve se iniciar com as eleições de delegados e delegadas nas instâncias de base do partido.

Para o presidente Nicolás Maduro, as estruturas do partido devem ser mudadas e renovadas: “Não temos o Partido que se necessita à revolução, temos um partido patriota, com uma grande capacidade de mobilização, mas devemos revisar a estrutura de militância de base.”

Segundo Elias Jaua, importante figura da direção nacional do partido e atual ministro da Educação, diante de um contexto de ameaça imperialista de grandes proporções e de escala mundial, o “Congresso Socialista” deverá se concentrar em três etapas: a primeira etapa será uma avaliação do cumprimento do propósito com o qual o PSUV foi criado: “a construção do Socialismo Bolivariano, a luta anti-imperialista, anticapitalista e a consolidação da democracia participativa e protagonista, mediante o reconhecimento e fortalecimento do Poder Popular.”.

Resolução da OEA que desconhece eleição na Venezuela é 'absurda', diz Caracas

Artigo da Foreign Policy defende abertamente golpe militar na Venezuela

EUA fazem lobby com 'fake news' para desacreditar Caracas na OEA, diz ministro venezuelano

 

PSUV

Após vitória em eleições presidenciais, Maduro convoca IV Congresso do PSUV

A segunda etapa diz respeito à caracterização do momento histórico atual e suas dimensões principais, por exemplo: Império contra Nação; capitalismo selvagem contra modelo Socialista Bolivariano; corrupção contra a ética revolucionária; burocratismo autoritário contra o protagonismo democrático do Poder Popular, entre outras.

A terceira etapa se refere à elaboração de planos concretos, afim de fazer correções estratégicas e retomar o rumo da revolução bolivariana na dimensão ética, política, econômica e social, conforme planejado pelo presidente Nicolás Maduro em seu discurso de posse, onde foi traçada publicamente as seis principais linhas de ação para o próximo período: 1) Diálogo e pacificação 2)  Avançar em um acordo econômico produtivo 3) Luta contra a corrupção 4) Programas Sociais 5) Defesa da nação e 6) Ratificação do rumo para o socialismo.

Os debates internos do partido deverão se concentrar nos seguintes temas: coerência política e ideológica, estrutura e funcionamento dos níveis de direção, construção de soluções concretas para os principais problemas, batalha internacional pela verdade, política de alianças e definição do Chavismo como força histórica.

Nas palavras de Elias Jaua, é chegada a hora de cumprir de maneira inexorável a linha traçada pelo Comandante Chávez, no documento do ano de 2010, Linha Estratégicas de Ação Política: “O partido tem que exercer sua função como “maquinaria eleitoral”, mas principalmente, como instrumento de transformação da sociedade, desde os sistemas de direção e gestão geral do país”.

* Caio Clímaco é cientista do Estado e mestrando em Ciencias para el Desarrollo Estrategico na Universidad Bolivariana de Venezuela (UBV)

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias