Presidente do TRF-4 determina que ex-presidente Lula continue preso

A decisão de Flores suspende o habeas corpus concedido ao ex-presidente na manhã deste domingo e encerrou o impasse formado pelas decisões opostas de Rogério Favreto e Gebran Neto

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Atualizada às 20h30

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Thompson Flores, determinou neste domingo (08/07) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve continuar preso.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A decisão de Flores suspende o habeas corpus concedido ao ex-presidente na manhã deste domingo e encerrou o impasse formado pelas decisões opostas de Rogério Favreto, que ordenara a soltura do petista em três despachos diferentes, e João Pedro Gebran Neto, relator do processo contra o ex-mandatário no TRF-4 e que mandara a Polícia Federal mantê-lo na cadeia.

Pela manhã, Rogério Favreto, desembargador de plantão do TRF-4, aceitou um pedido de habeas corpus a Lula apresentado por parlamentares petistas na ultima sexta-feira (06/07).

Após a decisão de Favreto, o juiz Sérgio Moro publicou um despacho afirmando que a ação de Favreto não poderia se sobrepor à decisão do colegiado e que o desembargador é "autoridade incompetente".

Ricardo Stuckert

A decisão de Flores suspende o habeas corpus concedido ao ex-presidente na manhã deste domingo e encerrou o impasse formado pelas decisões opostas de Rogério Favreto e Gebran Neto

Relator do caso de Lula no TRF-4, Gebran Neto suspende habeas corpus ao ex-presidente

Após juiz intervir em HC de Lula, deputado federal Wadih Damous denuncia crime de desobediência de Sérgio Moro

Desembargador do TRF-4 mantém decisão e dá prazo de uma hora para soltar Lula

 

"Com todo o respeito, é autoridade absolutamente incompetente para sobrepor-se à decisão do colegiado da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região e ainda do plenário do Supremo Tribunal Federal”, disse.

Em seguida, Favreto voltou a se pronunciar e reiterou a decisão de soltura de Lula, afirmando que "considerando os termos da decisão proferida em regime de plantão e que envolve o direito de liberdade do paciente, reitero a ordem exarada e determino o imediato cumprimento da decisão".

Por sua vez, o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator do caso no Tribunal Regional Federal da 4ª região que julgou a prisão do ex-presidente Lula, determinou que a decisão do desembargador do TRF-4 Rogério Favreto de conceder o habeas corpus ao petista não seja cumprida.

Depois de Gebran Neto ter barrado o HC, Favreto voltou a determinar que se cumprisse sua decisão e concedeu o prazo de 1 hora para que o ex-presidente fosse liberado.

Em nota, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a juíza Cármen Lúcia, afirmou que “a democracia brasileira é segura e os órgãos judiciários competentes de cada região devem atuar para garantir que a resposta judicial seja oferecida com rapidez e sem quebra da hierarquia, mas com rigor absoluto no cumprimento das normas vigentes”.

‘Moro cometeu crime’

“O juiz Sérgio Moro cometeu crime de desobediência”, denunciou o deputado federal Wadih Damous (PT/RJ), neste domingo (08/07), nos arredores da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba, sobre o posicionamento de Moro a respeito do habeas corpus concedido ao ex-presidente Lula.

Depois da decisão de Gebran Neto, o deputado Wadih Damous se reuniu com a militância nos arredores da sede da Polícia Federal em Curitiba e afirmou que o PT irá processar o juiz Sérgio Moro por suas declarações.

"Nós adotaremos as medidas judicais legais compatíveis contra Moro que cometeu crime de desobediência contra uma ordem judicial. Sergio Moro é símbolo da anarquia que impera no poder judiciário. Um juiz de 1º grau que manda desobedecer a ordem de um desembargador hierarquicamente maior que ele", disse o deputado.
 
*Com ANSA e Agência Brasil

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

'Trump me disse para processar a UE', afirma May

Após presidente dos EUA declarar que primeira-ministra do Reino Unido ignorou conselho dele sobre o Brexit, líder britânica revela qual foi a sugestão do americano: não entrar em negociações com a União Europeia