EUA anunciam novas tarifas bilionárias a produtos chineses

Deutsche Welle
Lista contém 6 mil itens, no valor total de 200 bilhões de dólares, que poderão ser atingidos por uma taxa de importação de 10% a partir de setembro; China considera medida "totalmente inaceitável" e anuncia represália

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Os Estados Unidos publicaram nesta terça-feira (10/07) uma lista de mais de 6 mil linhas de produtos da China, no valor total de 200 bilhões de dólares, que serão atingidos em breve por uma nova taxa de importação de 10%.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O anúncio significa um novo acirramento na guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo. O governo da China considerou a decisão dos EUA "totalmente inaceitável" e anunciou que tomará "as contramedidas necessárias".

"A atitude dos EUA prejudica a China, o mundo e a eles mesmos. Essa conduta irracional não pode ganhar apoio", afirmou o Ministério chinês do Comércio nesta quarta-feira. A China apresentará um novo requerimento na Organização Mundial do Comércio (OMC) para denunciar a "conduta unilateral" dos Estados Unidos.

Entre os produtos afetados pelos novos encargos estão frutas e verduras, cereais, produtos de origem animal, madeiras, embarcações e materiais de construção. A lista também inclui produtos químicos, combustíveis, tabaco e álcool, produtos têxteis, materiais fotográficos e de vídeo.

'UE deve enfrentar Trump unida': guerra comercial provoca reações em vários países

Após reunião com Pompeo, Pyongyang afirma que desnuclearização 'pode falhar'

Secretário de Estado dos EUA visita Vietnã para debater desnuclearização da Coreia do Norte

 

picture-alliance/chromorange/C. Ohde

EUA anunciaram novas medidas comerciais contra China

A lista de 200 bilhões de dólares supera em muito o valor total de produtos que a China importa dos Estados Unidos, o que significa que Pequim terá de buscar caminhos alternativos se quiser responder na mesma medida.

A nova decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é uma represália à resposta do país asiático aos primeiros encargos aplicados pelo governo norte-americano. Na sexta-feira passada entraram em vigor tarifas de 25% que os EUA aplicaram sobre 34 bilhões de dólares em produtos chineses, como primeira parte de um pacote de tarifas sobre 50 bilhões de dólares. Na ocasião, a China respondeu com medidas idênticas.

"Durante mais de um ano, o governo Trump pediu pacientemente à China que abandonasse suas práticas desleais, abrisse seu mercado e participasse de uma verdadeira concorrência de mercado", afirmou o Escritório do Representante de Comércio dos Estados Unidos (USTR).

"Fomos muito claros e precisos a respeito das mudanças específicas que a China deveria realizar. Infelizmente, a China não mudou seu comportamento, que põe em risco o futuro da economia dos EUA", acrescentou.

O USTR anunciou que dará início a um processo de notificação e comentários públicos antes de as novas tarifas entrarem em vigor, no início de setembro.

Trump já havia avisado à China sobre a imposição das taxas sobre 200 bilhões de dólares em importações caso houvesse represálias e também advertira que poderá aplicar um terceiro pacote sobre 300 bilhões em produtos se o gigante asiático voltar a retaliar.

AS/efe/rtr

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

'Trump me disse para processar a UE', afirma May

Após presidente dos EUA declarar que primeira-ministra do Reino Unido ignorou conselho dele sobre o Brexit, líder britânica revela qual foi a sugestão do americano: não entrar em negociações com a União Europeia