Hoje na História - 1917: Tem início a Revolução de Fevereiro, na Rússia

Famintos e esgotados pela guerra, os russos organizam greves gerais e manifestações em todas as grandes cidades do país. Em Petrogrado, a capital, os operários reclamam em 8 de março de 1917 a formação de um novo governo. Seu slogan: "Abaixo a autocracia". O movimento desembocaria na abdicação do czar Nicolau II. A Rússia vivia sua primeira revolução, chamada “Revolução de Fevereiro”, visto que, segundo o calendário ortodoxo, ela de desenrolou no mês de fevereiro e não em março.

Uma semana mais tarde, séculos de governos autocráticos czaristas na Rússia terminam com a abdicação do czar Nicolau II e a Rússia dá um dramático passo em direção a uma próxima revolução bolchevique.

Wikipedia
 
Nicolau na prisão em Tsarskoye Selo, em uma de suas últimas fotos

Por volta de 1917, a maioria dos russos havia perdido sua fé na capacidade de liderança do regime czarista. A corrupção no governo era desenfreada e galopante, a economia permanecia atrasada e o czar repetidamente dissolvia a Duma, o parlamento russo estabelecido após a Revolução de 1905, quando ele afrontava os seus desejos. Contudo, a causa imediata da Revolução de Fevereiro – a primeira fase da Revolução Russa de 1917 – foi o desastroso envolvimento da Rússia na Primeira Guerra Mundial.

Leia mais:
Hoje na História: 1943 - Forças soviéticas rompem o cerco a Leningrado 
Hoje na História: 1939 - É assinado o pacto Molotov-Ribbentrop 
Hoje na História - 1939: Polônia é dividida entre União Soviética e Alemanha 
Hoje na História: 1943 - Tropas nazistas sufocam o levante do gueto de Varsóvia 


Militarmente, a Rússia imperial não era páreo para a industrializada Alemanha e as baixas russas eram maiores do que aquelas sofridas por qualquer nação em qualquer guerra anterior. Entretanto, a economia se desbaratava irremediavelmente devido ao alto custo do esforço de guerra. Setores moderados juntaram-se, então, aos setores mais radicais apelando para a derrubada do czar.

Em 8 de março de 1917, manifestantes clamando por pão tomaram as ruas da capital russa de Petrogrado, hoje conhecida como São Petersburgo. Suportados por 90 mil homens e mulheres em greve, os manifestantes enfrentaram a repressão policial e recusaram-se a deixar as ruas.

Em 10 de março, a greve já se estendia a todos os trabalhadores de Petrogrado e massas iradas de trabalhadores destruíam os postos policiais. Diversas fábricas elegeram seus operários como deputados ao Soviet de Petrogrado ou Conselho de Comitês de Trabalhadores, seguindo o modelo concebido durante a Revolução de 1905.

Em 11 de março, as tropas da guarnição do exército em Petrogrado foram convocadas para sufocar a revolta. Em alguns encontros, os regimentos abriram fogo matando dezenas de manifestantes.

No entanto, os revoltosos mantiveram-se firmes nas ruas e as tropas começaram a vacilar. Nesse dia, novamente, o czar Nicolau dissolveu a Duma. Em 12 de março, a revolução triunfa quando regimento após regimento da guarnição de Petrogrado depõe as armas e se passam para o lado dos revolucionários. Os soldados, cerca de 150 mil, formaram em seguida comitês que elegeram representantes ao Soviet de Petrogrado.

O governo imperial foi obrigado a renunciar e a Duma formou um governo provisório, chefiado por Georgy Lvov, que competia pacificamente com o Soviet de Petrogrado pelo controle da revolução.

Em 14 de março, o Soviet de Petrogrado expedia a "Ordem nº 1" que instruía os soldados e marinheiros a obedecer apenas às ordens que não conflitassem com as diretivas do Soviet. No dia seguinte, 15 de março, o czar Nicolau II abdicava ao trono em favor de seu irmão Miguel, cuja recusa em assumir a coroa levou ao fim da autocracia czarista.

O novo governo provisório, tolerado pelo Soviet de Petrogrado, esperava resgatar o esforço de guerra enquanto terminava com a escassez de alimentos e muitas outras mazelas domésticas.

Em 21 de julho, assume o comando do governo provisório Alexander Kerensky. Ele teria de enfrentar tarefas de enormes proporções. Entrementes, Vladimir Lenin, líder do partido revolucionário bolchevique, deixava seu exílio na Suíça e cruzava as linhas inimigas alemãs, retornando à Rússia para assumir o controle da Revolução Russa.

Outros fatos marcantes da data:
08/03/1500 - Esquadra de Pedro Álvares Cabral deixa Lisboa para descobrir o Brasil
08/03/1817 – É fundada a Bolsa de Valores de Nova York
08/03/1910 – Raymonde de Laroche é a primeira mulher a fazer um voo solo


Siga o Opera Mundi no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

Hoje na História: 1999 - População mundial atinge a marca de 6 bilhões de habitantes

Hoje na História: 1378 – Crise na Igreja Católica dá início ao Grande Cisma do Ocidente

Hoje na História: 1662 - Morre o pensador francês Blaise Pascal

 

Leia Mais

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

O livro que você quer!

O livro que você quer!

A Editora Alameda selecionou 31 títulos especialmente para você, leitor de Opera Mundi. Alguns destaques: Vila Buarque, o caldo da regressão, de Marcos Gama; Autoritarismo e golpes na América Latina, de Pedro Estevam Serrano; Machado de Assis - a Poesia Completa; A formação do mercado de trabalho no Brasil, de Alexandre de Freitas Barbosa; Nós que amamos a revolução, de Américo Antunes; Jorge Amado na Hora da Guerra, de Benedito Veiga; Da Pizza ao Impeachment, de Roberto Grün; Tsimane, de Aline Vieira, e Casa da Vovó, de Marcelo Godoy. A lista é incrível, aproveite. Tem alguns descontos convidativos e o frete é grátis para todo o Brasil.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

'The Post': a história não foi bem assim

Jornalista Ben H. Bagdikian, personagem coadjuvante em The Post, tem uma versão diferente da contada no filme; Bagdikian é autor do livro O Monopólio da Mídia, que será lançado em abril pela editora Veneta