Notícia

Taxa de desemprego na Itália é a maior desde novembro de 2010

Produção e consumo de mercadorias e serviços no país encareceu em 2011

O Istat (Instituto Nacional de Estatística da Itália), revelou nesta quinta-feira (05/01) que a taxa de desemprego do país chegou à marca de 8,6% da população, a maior desde o início de 2010.

Em relação aos jovens, a situação do desemprego é ainda mais dramática. Pouco mais de 30% dos italianos entre 15 e 24 anos de idade estão em busca de algum posto de trabalho no país.

Ainda assim, a Itália não encabeça a lista das maiores taxa de desemprego entre os países europeus. Nações como Grécia e Portugal enfrentam números superiores a 10% da população. Mais de 20% dos espanhóis estão ociosos.

O instituto lembra que, em novembro do ano passado, cerca de 23 milhões de italianos conseguiram um novo emprego, o que resultou em uma taxa de empregos de quase 57%.

Inflação

Comprar algum produto italiano tornou-se uma atividade mais cara em 2011.

No último mês de dezembro foram reveladas duas outras estatísticas do mercado interno italiano, que medem a variação no valor de produção e de consumo de bens no país.

O índice de preços ao produtor da Itália, que mede a evolução do valor de oferta de uma mercadoria no país, sofreu um aumento de 4,2% entre 2010 e 2011. Esse incremento é ainda superior para itens produzidos dentro do território italiano, elevando-se para 4,5%.

De forma semelhante, o índice de preços ao consumidor, que abarca o preço de varejo dos produtos e serviços mais consumidos pelos italianos, também sofreu aumento. No comparação de 2011 com 2010 o número elevou-se 3,3%.

Líderes europeus preveem que 2012 será pior do que o ano passado

Premiê diz que combaterá “excessos” do sistema financeiro do Reino Unido

Desemprego retrocede na Alemanha e é o menor dos últimos 20 anos

Leia Mais

Outras Notícias

Destaques

Últimas Notícias

Notícias + Lidas

Séries Especiais