Após denúncias de corrupção, presidente da Alemanha renuncia

Wulff afirmou que já não contava com o apoio da população alemã

Após escândalos de corrupção e tráfico de influência, o presidente da Alemanha, Christian Wulff, anunciou nesta sexta-feira (17/02) sua demissão do cargo. Em um breve comunicado à imprensa, que não teve direito a perguntas, Wulff afirmou que não deve continuar no cargo já que “a confiança dos cidadãos está abalada”.

Efe

Anúncio foi feita na manhã desta sexta-feira

O conservador, eleito em junho de 2010, era acusado desde o último mês de dezembro pela imprensa alemã de ter tentado esconder um caso em que teria obtido crédito privado de amigos quando ainda era chefe do governo regional da Baixa Saxônia.

Além disso, a imprensa alemã levantou suspeitas a respeito das relações de Wulff com o produtor cinematográfico David Groenewold. Enquanto governador da Baixa Saxônia, Wulff teria aprovado a concessão de um milhão de euros a uma das empresas de Groenewold.

Apesar de rejeitar as acusações, Wulff viu sua situação se complicar ainda mais quando nesta quinta (16) o Ministério Público de Hannover pediu que o Parlamento alemão suspendesse a imunidade do presidente para que ele fosse investigado.

“Estou convencido de que [as investigações] vão comprovar minha inocência”, declarou Wulff nesta sexta no Palácio de Bellevue. Apesar disso, o presidente afirmou que já não conta com o apoio maciço da população alemã.

“A Alemanha precisa de um presidente que conte com um amplo apoio da população”. A decisão de Wulff já era, de certa forma, esperada pela cúpula alemã que deverá anunciar nos próximos dias o nome de seu sucessor. A primeira-ministra Angela Merkel afirmou, logo após o anúncio do presidente, que os partidos de coalizão governamental irão buscar com a oposição social-democrata e verde um candidato de consenso para sucedê-lo.

Uma sessão especial do Parlamento deverá definir o novo presidente em um prazo de 30 dias. A chanceler disse ainda que recebeu a renúncia de Wulff com “grande respeito e pesar” já que, segundo ela, o presidente representou o país “com dignidade”.

Efe

Angela Merkel ainda não anunciou o substituto de Wulff

Na Alemanha, o presidente tem funções meramente administrativas, sendo que as decisões de caráter político e econômico devem ser definidas pelo chanceler do país. Ângela Merkel ocupa esta função desde novembro de 2005.

Economia da Itália entra oficialmente em recessão ao cair 0,7% no 4º trimestre de 2011

Economia da zona do euro encolhe 0,3% no 4º trimestre de 2011

Países europeus não querem mais Grécia na zona euro, diz ministro

Leia Mais

Outras Notícias

Destaques

Últimas Notícias

Notícias + Lidas