X-Men protagoniza primeiro casamento gay nos quadrinhos da Marvel

Mutante Estrela Polar se casa com um humano na edição n.º 51 da revista

Vinte anos depois de a Marvel Comics causar surpresa nos leitores ao revelar que um de seus super-heróis, o canadense Estrela Polar (da Tropa Alfa e posteriormente dos X-Men) era homossexual, a editora norte-americana volta a quebrar tabus e anuncia o casamento do personagem com Kyle, seu namorado de longa data – que não tem superpoderes. Trata-se do primeiro casamento gay envolvendo um super-herói da editora.

O evento está na capa do nº 51 da revista “Astonishing X-Men” (Os Fabulosos X-Men, que sai no Brasil pela editora Panini), uma das mais tradicionais da editora (capa alternativa ao lado), e chegará às bancas dos EUA no próximo dia 20. A história é escrita por Marjorie Liu e ilustrada por Mike Perkins.

E ainda oferece uma versão com uma capa alternativa onde se destaca um espaço em branco para que o leitor coloque uma foto de sua própria cerimônia, ao lado de um álbum de fotos com grandes casamentos dos heróis da editora (muitos deles, é verdade, já acabaram).

Chama também a atenção que o casal é alvo de triplo preconceito. Afinal, além de serem discriminados por serem gays, Estrela Polar (cujo nome civil é Jean-Paul Beaubier) e Kyle também sofrem preconceito por serem, respectivamente, mutante e negro.

"Quando o casamento gay se tornou legal no Estado de Nova York,  e a maioria de nossos super-heróis reside aqui, obviamente uma série de questões foi levantada. Estrela Polar é o primeiro personagem abertamente gay nos quadrinhos (mainstream) e tem uma relação antiga com seu namorado Kyle. Portanto, a pergunta que surgiu foi: como isso iria transformar a relação deles?”, afirmou Axel Alonso, editor-chefe da Marvel em entrevista à revista Rolling Stone.

Divulgação

Capa principal de Astonishing X-Men #51: um convidado importante faltou 

“Nossas revistas são sempre as melhores para responder e refletir os avanços do mundo real. Temos feito isso há décadas, e esta (história) é apenas a última demonstração disso”, afirma Alonso.

A roteirista  Marjorie Liu ressalta que o importante da publicação é que não se trata de uma revista em quadrinhos, mas principalmente de uma mensagem: “Você pode fazer o mesmo”.
 

Foto:

Após assumir-se lésbica, republicana decide combater lei que proíbe casamento gay nos EUA

Art Spiegelman coloca obra-prima dos quadrinhos nas paredes de museu em Paris

Pesquisa indica que 54% dos italianos apoiam casamento gay

 


Liu avisa que o casal enfrentará problemas no futuro, sejam as típicas preocupações de casais em que um dos cônjuges exerce uma profissão de alto risco (soldado, policial ou, no caso, super-herói), passando pelos perigos de viver ao lado de uma pessoa com super-poderes “em um dia ruim” até mesmo enfrentando a homofobia entre os próprios super-heróis.

“Essa história começa em um casamento, mas não termina nele”, afirma Liu. Alguns heróis irão à cerimônia de coração aberto, outros recusarão o convite, enquanto alguns nem chegam a considerar a validade do matrimônio. “Ao menos um dos companheiros de equipe de Estrela Polar vai se recusar a comparecer,o que dará uma interessante dinâmica à história”, revela a roteirista.

Este não é, no entanto, o primeiro casamento gay em uma editora mainstream envolvendo personagens no estilo super-herói. E, no caso, os dois noivos eram super-heróis: Apollo e Meia-Noite, que atuam pelo controverso grupo The Autority, criados por Warren Ellis e Bryan Hitch, também se casaram em uma edição especial. Os dois pertencem à Wildstorm, editora criada pelo desenhista Jim Lee e hoje um selo alternativo da DC Comics. A própria DC tem uma série de super-heróis gays em seus super grupos, mas que não chegaram ainda a conceber matrimônio.

Reprodução

O casamento entre Apollo e Midnighter, do controverso grupo de super-heróis Authority

A Marvel, por sua vez, deu muito destaque nos últimos anos para Daken, filho de Wolverine, que é bissexual. Em um universo alternativo, o “Ultimate”, Estrela Polar tinha um relacionamento com um X-Men ainda mais popular, o russo Colossus (que é hetero no universo principal – a Terra 616).

Uma curiosidade: o inglês Warren Ellis nunca escondeu que os dois eram uma versão alternativa de Superman e Batman. Os dois inclusive adotaram a filha de Jenny Sparks, ex-líder do grupo e morta durante uma aventura.
 

Leia Mais

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

O livro que você quer!

O livro que você quer!

A Editora Alameda selecionou 31 títulos especialmente para você, leitor de Opera Mundi. Alguns destaques: Vila Buarque, o caldo da regressão, de Marcos Gama; Autoritarismo e golpes na América Latina, de Pedro Estevam Serrano; Machado de Assis - a Poesia Completa; A formação do mercado de trabalho no Brasil, de Alexandre de Freitas Barbosa; Nós que amamos a revolução, de Américo Antunes; Jorge Amado na Hora da Guerra, de Benedito Veiga; Da Pizza ao Impeachment, de Roberto Grün; Tsimane, de Aline Vieira, e Casa da Vovó, de Marcelo Godoy. A lista é incrível, aproveite. Tem alguns descontos convidativos e o frete é grátis para todo o Brasil.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias