X-Men protagoniza primeiro casamento gay nos quadrinhos da Marvel

Mutante Estrela Polar se casa com um humano na edição n.º 51 da revista

Vinte anos depois de a Marvel Comics causar surpresa nos leitores ao revelar que um de seus super-heróis, o canadense Estrela Polar (da Tropa Alfa e posteriormente dos X-Men) era homossexual, a editora norte-americana volta a quebrar tabus e anuncia o casamento do personagem com Kyle, seu namorado de longa data – que não tem superpoderes. Trata-se do primeiro casamento gay envolvendo um super-herói da editora.

O evento está na capa do nº 51 da revista “Astonishing X-Men” (Os Fabulosos X-Men, que sai no Brasil pela editora Panini), uma das mais tradicionais da editora (capa alternativa ao lado), e chegará às bancas dos EUA no próximo dia 20. A história é escrita por Marjorie Liu e ilustrada por Mike Perkins.

E ainda oferece uma versão com uma capa alternativa onde se destaca um espaço em branco para que o leitor coloque uma foto de sua própria cerimônia, ao lado de um álbum de fotos com grandes casamentos dos heróis da editora (muitos deles, é verdade, já acabaram).

Chama também a atenção que o casal é alvo de triplo preconceito. Afinal, além de serem discriminados por serem gays, Estrela Polar (cujo nome civil é Jean-Paul Beaubier) e Kyle também sofrem preconceito por serem, respectivamente, mutante e negro.

"Quando o casamento gay se tornou legal no Estado de Nova York,  e a maioria de nossos super-heróis reside aqui, obviamente uma série de questões foi levantada. Estrela Polar é o primeiro personagem abertamente gay nos quadrinhos (mainstream) e tem uma relação antiga com seu namorado Kyle. Portanto, a pergunta que surgiu foi: como isso iria transformar a relação deles?”, afirmou Axel Alonso, editor-chefe da Marvel em entrevista à revista Rolling Stone.

Divulgação

Capa principal de Astonishing X-Men #51: um convidado importante faltou 

“Nossas revistas são sempre as melhores para responder e refletir os avanços do mundo real. Temos feito isso há décadas, e esta (história) é apenas a última demonstração disso”, afirma Alonso.

A roteirista  Marjorie Liu ressalta que o importante da publicação é que não se trata de uma revista em quadrinhos, mas principalmente de uma mensagem: “Você pode fazer o mesmo”.
 

Foto:

Após assumir-se lésbica, republicana decide combater lei que proíbe casamento gay nos EUA

Art Spiegelman coloca obra-prima dos quadrinhos nas paredes de museu em Paris

Pesquisa indica que 54% dos italianos apoiam casamento gay

 


Liu avisa que o casal enfrentará problemas no futuro, sejam as típicas preocupações de casais em que um dos cônjuges exerce uma profissão de alto risco (soldado, policial ou, no caso, super-herói), passando pelos perigos de viver ao lado de uma pessoa com super-poderes “em um dia ruim” até mesmo enfrentando a homofobia entre os próprios super-heróis.

“Essa história começa em um casamento, mas não termina nele”, afirma Liu. Alguns heróis irão à cerimônia de coração aberto, outros recusarão o convite, enquanto alguns nem chegam a considerar a validade do matrimônio. “Ao menos um dos companheiros de equipe de Estrela Polar vai se recusar a comparecer,o que dará uma interessante dinâmica à história”, revela a roteirista.

Este não é, no entanto, o primeiro casamento gay em uma editora mainstream envolvendo personagens no estilo super-herói. E, no caso, os dois noivos eram super-heróis: Apollo e Meia-Noite, que atuam pelo controverso grupo The Autority, criados por Warren Ellis e Bryan Hitch, também se casaram em uma edição especial. Os dois pertencem à Wildstorm, editora criada pelo desenhista Jim Lee e hoje um selo alternativo da DC Comics. A própria DC tem uma série de super-heróis gays em seus super grupos, mas que não chegaram ainda a conceber matrimônio.

Reprodução

O casamento entre Apollo e Midnighter, do controverso grupo de super-heróis Authority

A Marvel, por sua vez, deu muito destaque nos últimos anos para Daken, filho de Wolverine, que é bissexual. Em um universo alternativo, o “Ultimate”, Estrela Polar tinha um relacionamento com um X-Men ainda mais popular, o russo Colossus (que é hetero no universo principal – a Terra 616).

Uma curiosidade: o inglês Warren Ellis nunca escondeu que os dois eram uma versão alternativa de Superman e Batman. Os dois inclusive adotaram a filha de Jenny Sparks, ex-líder do grupo e morta durante uma aventura.
 

Leia Mais

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Protesto anti-Trump acaba em confronto no Líbano

Violência segue intensa no Oriente Médio após decisão americana de reconhecer Jerusalém. Policiais reprimem manifestação perto da embaixada americana em Beirute e, na cidade disputada, oficial israelense é esfaqueado