Panamá deteve "armamento defensivo obsoleto" em navio norte-coreano, diz Cuba

Havana disse que acordos militares sustentam a necessidade de manter capacidade defensiva para preservar soberania

O Ministério das Relações Exteriores de Cuba confirmou que o navio norte-coreano, detido no Canal do Panamá, vinha de um porto cubano e transportava exclusivamente 10 mil toneladas de açúcar e “armamento defensivo obsoleto”, a ser reparado na Coreia do Norte. Segundo o ministério, o armamento retornaria para Cuba.

O texto diz ainda que é “firme e irretocável” o compromisso de Cuba em defesa da paz, do desarmamento, incluindo a questão nuclear, e o respeito ao direito internacional. O navio norte-coreano foi detido no Canal do Panamá, na semana passada, porque transportava armamentos sob a carga de açúcar.

Snowden pede asilo à Rússia até poder viajar para América Latina

"Lei Beyoncé e Jay-Z” quer reforçar bloqueio turístico dos EUA a Cuba

Cuba apresenta vacina contra câncer de pulmão

 

O governo do Panamá apelou à comunidade internacional para enviar técnicos capazes de examinar o material. As autoridades da Coreia do Norte não se pronunciaram sobre o episódio, segundo as autoridades panamenhas. Pelas sanções internacionais, a Coreia do Norte é proibida de exportar e importar armamentos, exceto armas leves.

Em nota oficial, o governo de Cuba informa que o navio Chong Chon Gang transportava açúcar e mais 240 toneladas métricas de armamento defensivo obsoleto, que inclui dois complexos mísseis antiaéreos Volga e Pechora, nove foguetes em partes e peças, dois aviões Mig-21 Bis e 15 motores de este tipo de avião.

De acordo com o comunicado, o material militar foi fabricado em meados do século 20, por essa razão precisa de revisão e reparação. O Ministério das Relações Exteriores de Cuba argumenta que os acordos militares sustentam a necessidade de o país manter uma capacidade defensiva para preservar a soberania nacional.

*Com informações da emissora multiestatal de televisão, Telesur 

Leia Mais

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Deputados barram lei de aborto aprovada pelo Senado no Chile

Projeto que autoriza aborto nos casos de risco de vida para a gestante, estupro ou má formação do feto vai a comissão mista para ser reavaliado; Michelle Bachelet criticou oposição por votar por 'ideologia ou religião' contra a lei

 

Notas sobre Marco Aurélio Garcia, um grande camarada

MAG combinou interesses econômicos e políticos com uma visão anti-hegemônica clara e firmou-se como leme de uma diplomacia que tinha o desenvolvimento e a construção de novas parcerias Sul-Sul como meta