Foro de São Paulo quer envio de observadores da Unasul à eleição hondurenha

Parlamentares da esquerda latino-americana se reunirão em outubro em Tegucigalpa


Em sua declaração final, divulgada no último domingo (06/08), o Foro de São Paulo exigirá a presença de uma missão de observadores da Unasul (União das Nações Sul-Americanas). Os participantes do encontr também manifestaram apoio às “forças progressistas” de Honduras no processo eleitoral, marcado para 24 de novembro. O pedido será feito pelo aliança hondurenha Libre (Partido Liberdade e Refundação) ao Tribunal Supremo Eleitoral do país centro-americano.

O fórum, que reuniu na capital paulista cerca de 100 partidos de esquerda da América Latina, manifestou em uma resolução aprovada hoje sua decisão de “contribuir para o triunfo das forças democráticas de Honduras e a consolidação da democracia” no país.

Para isso, programou uma séria de ações: em 14 de setembro, fará uma reunião de um grupo de trabalho em Honduras para aprovar a Declaração de tegucigalpa. Em agosto, está previsto um encontro de mulheres organizado pela COPPPAL (Conferência Permanente de Partidos Políticos da América Latina e Caribe).

Também acordou convocar um encontro de parlamentares da América Latina e do Caribe, que deverá debater a situação da democracia em Honduras em Tegucigalpa no dia 12 de outubro.

A organização do encontro parlamentar estará a cargo do PSUV (Partido Socialista Unido da Venezuela), da FSLN (Frente Sandinista de Libertação Nacional) da Nicarágua e da FFMNL (Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional) de El Salvador.

Na eleição de novembro, em turno único, os hondurenhos elegerão o sucessor do presidente Porfirio Lobo, que chegou ao poder após a crise política iniciada com a queda, em junho de 2009, do então chefe de Estado Manuel Zelaya. Xiomara Castro, mulher de Zelaya, que concorre pelo Libre, está à frente nas pesquisas de opinião.

Em ascensão, nova força de esquerda em Honduras teme violência político-eleitoral

Crise mundial e golpe de Estado castigaram economia hondurenha

Há um desejo em Honduras de se vingar do golpe nas urnas, diz ex-ministro de Zelaya

 

Leia Mais

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Inspirada pela Revolução Russa, a Alameda Casa Editorial fez uma seleção de 100 livros com desconto de 20% e frete grátis. São livros que tratam da sociedade capitalista, do mercado de trabalho, do racismo, do pensamento marxista, das grandes depressões econômicas, enfim: do pensamento social que, direta ou indiretamente, foi influenciado pela revolução dos trabalhadores de 1917. Aproveite.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Mugabe reaparece em público após intervenção militar

Oficialmente em prisão domiciliar, presidente do Zimbábue é visto em público pela primeira vez desde que Forças Armadas assumiram o controle do país; sua saída do poder, após quase quatro décadas, ainda é incerta.