Hoje na História: Morre o matemático inglês Isaac Newton

No dia 20 de março de 1727, morreu em Londres Isaac Newton, matemático, físico, astrônomo e filósofo inglês, considerado por muitos como o maior cientista de todos os tempos.

Newton estudou em Cambridge, onde lecionou de 1669 a 1701, sucedendo seu professor, Isaac Barrow, como “professor lucasiano” de matemática. O título se dá a uma cátedra de matemática da Universidade de Cambridge. 


Retrato de Isaac Newton por Godfrey Kneller

Suas descobertas mais importantes ocorreram entre 1664 e 1666, quando a universidade esteve fechada e ele se retirou para a sua cidade natal de Woolsthorpe. Naquela época, ele tinha apenas 21 anos. Newton descobriu a Lei da Gravitação Universal, começou a desenvolver o cálculo infinitesimal e demonstrou que a luz branca é composta por todas as cores do espectro luminoso.

Essas descobertas permitiram-lhe trazer contribuições fundamentais para o estudo da matemática, astronomia e para a física teórica e experimental.

Movimento dos planetas

Newton reuniu seus trabalhos no campo da mecânica terrestre e mecânica celeste em sua magistral obra Philosophiae naturalis principia mathematica (Princípios matemáticos de filosofia natural, de 1687), situada entre os grandes marcos da história da ciência. Nela ele mostrou que o princípio da gravitação universal proporcionava explicação tanto para os corpos cadentes sobre a Terra quanto para o movimento dos planetas, cometas e outros corpos celestes.

A primeira parte do Principia é dedicada à dinâmica e inclui as três famosas leis do movimento; a segunda parte ao movimento dos fluidos e outros tópicos; e a terceira parte ao sistema do Universo, ou seja, a unificação da mecânica terrestre e a mecânica celeste sob o princípio da gravitação universal e a explicação das leis de Johannes Kepler do movimento planetário.

Embora Newton tivesse se valido do cálculo infinitesimal para chegar aos resultados, explicou-as no Principia utilizando métodos geométricos tradicionais.

As descobertas do matemático no campo da óptica foram apresentadas em sua obra Opticks (1704), em que elaborou sua teoria de que a luz é composta de corpúsculos ou partículas. Sua teoria corpuscular dominou a óptica até o começo do século 19, quando foi substituída pela teoria ondulatória da luz.

Entre outras conquistas científicas encontra-se a construção em 1668 de um telescópio refletor e sua antecipação ao cálculo de variações inventado por Leibniz e Bernoullis. Em seus últimos anos, Newton passou a considerar a matemática e a física como mera recreação e voltou-se com muita energia para a alquimia, teologia e história e, em especial, problemas de cronologia.

Controvérsias

Newton foi representante da Universidade de Cambridge no Parlamento (1689–90, 1701–2) e presidente da Real Sociedade de 1703 até sua morte. Foi nomeado Guardião da Casa da Moeda em 1696 e sagrado Cavaleiro em 1705 em reconhecimento aos serviços prestados na Casa da Moeda bem como de suas conquistas científicas.

Sua vida foi marcada por muitas controvérsias. A disputa mais notável foi a que travou contra Leibniz para saber quem dos dois havia inventado primeiro o cálculo infinitesimal. Hoje em dia, a honra da invenção é atribuída aos dois, indistintamente.

Newton morreu numa segunda-feira, aos 85 anos, depois de passar algum tempo sofrendo de gota e de uma inflamação pulmonar. Foi sepultado na Abadia de Westminster onde até hoje seus restos se encontram.

Com informações do Dicionário de Biografias Científicas, Editora Contraponto, verbete Newton, de Bernard Cohen, Universidade Harvard, tradução Max Altman

Siga o Opera Mundi no Twitter

Hoje na História: 1999 - População mundial atinge a marca de 6 bilhões de habitantes

Hoje na História: 1378 – Crise na Igreja Católica dá início ao Grande Cisma do Ocidente

Hoje na História: 1662 - Morre o pensador francês Blaise Pascal

 

Leia Mais

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Democracia

Democracia

A construção e a defesa da democracia envolve muitas áreas: feminismo, educação, história. Conheça alguns títulos da Alameda Casa Editorial sobre o tema.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Luta de classes na era do Uber

Distintos entre si, fordismo e toyotismo tinham algo em comum: a oferta, aos trabalhadores, de compensações parciais. O novo arranjo “produtivo” é retrocesso puro