Pelo menos 22 imigrantes morrem em naufrágio na Grécia

Dois barcos com 65 pessoas viraram por causas desconhecidas perto da ilha de Samos, em frente à costa da Turquia

Vinte e dois imigrantes, incluindo mulheres e crianças, morreram afogados e pelo menos 10 estão desaparecidos depois que duas embarcações naufragaram perto da ilha grega de Samos, próxima à costa da Turquia, na madrugada desta segunda-feira (05/05).

O acidente aconteceu ao leste do mar Egeu, onde um barco de 10 metros de comprimento e outro menor, de dois metros, viraram com cerca de 65 imigrantes a bordo, por causas ainda desconhecidas. Segundo as autoridades, 36 pessoas já foram resgatadas, mas elas ainda não informaram qual seria a nacionalidade dos imigrantes.

Efe

Fotografia fornecida pela Guarda Costeira grega mostra uma das embarcações que viraram no mar Egeu nesta madrugada

Canadá suspende parte de programa de trabalhadores estrangeiros

Executivos dos EUA ganham 331 vezes mais do que um empregado médio, diz pesquisa

Condenado por sonegação de imposto, Berlusconi começa a trabalhar em asilo no dia 9

 

"Desde 2010 não acontecia tamanha tragédia em nossa ilha", disse à Agência Efe o prefeito de Samos, Stylianos Thanos. Esse foi o segundo incidente do gênero no país em menos de dois meses. De acordo com a Reuters, em março, sete imigrantes se afogaram após uma embarcação naufragar perto da ilha grega de Lesbos.

Frequentemente, milhares de imigrantes da África e do Oriente Médio tentam entrar na Europa pelo Mediterrâneo. A prática por via marítima – pouco segura – aumentou na região desde que a Grécia ergueu uma cerca em sua fronteira terrestre com a Turquia.

Leia Mais

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias