Deputados se comportaram como 'torcedores bêbados em um estádio de futebol', diz 'Irish Times'

Jornal irlandês classificou parlamentares em votação sobre impeachment como 'palhaços' e disse ser 'difícil não simpatizar com apoiadores da presidente'

O jornal irlandês Irish Times publicou nesta segunda-feira (18/04) um artigo sobre a votação da Câmara dos Deputados sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff em que classifica os parlamentares de “palhaços” que se comportaram “com o decoro de torcedores bêbados em um estádio de futebol”.

Resgatando algumas reações negativas da opinião pública após a eleição de Tiririca como deputado pelo PR-SP em 2010, o correspondente do jornal no Brasil, Tom Hennigan, escreve que "Tiririca não só se encaixa muito bem [na Câmara] como está longe de ser o maior palhaço" na política brasileira.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo o Irish Times, “na mais importante sessão da legislatura nos últimos 25 anos, muitos de seus membros se comportaram com o decoro de torcedores bêbados em um estádio de futebol durante um clássico local”.

Houve “horas de discursos mal feitos por líderes de partidos que foram vastamente ignorados pela maioria dos deputados, que passaram horas zanzando pelas bancadas, batendo papo e tirando selfies com familiares e apoiadores convidados à Câmara”, segue o jornal irlandês.

O Irish Times também comentou as dedicatórias estapafúrdias dos deputados ao votarem a favor do seguimento do processo de impeachment da presidente brasileira, assim como a cuspida de Jean Wyllys (Psol-RJ) após as ofensas homofóbicas de Jair Bolsonaro (PSC-RJ), e a homenagem deste último ao coronel Carlos Brilhante Ustra, “um dos mais temidos torturadores da ditadura militar” brasileira, classifica o jornal.

'PT deu a seus inimigos a chance de atacar', diz Tariq Ali à 'BBC Brasil'

É terrível ver alguém votar em homenagem ao maior torturador que o Brasil já conheceu, diz Dilma à imprensa estrangeira

Em Washington, manifestante pergunta se senador Aloysio Nunes foi aos EUA 'buscar apoio para golpe'

 

“À medida que a sessão se arrastava noite adentro e a derrota de Rousseff se demonstrava cada vez mais provável, era difícil não simpatizar com os apoiadores da presidente quando eles denunciavam a ‘farsa’ em curso. Votar no Eurovision [festival musical europeu] pareceu digno em comparação”, escreveu o correspondente. “O mundo está olhando e o que vê é um espetáculo de circo”, lamentou o deputado Chico Alencar (Psol-RJ) ao Irish Times.

O jornal também destacou “a falta de senso de ironia” dos deputados que votaram a favor do impeachment e acusaram Dilma e o PT de corrupção, “considerando que pelo menos 299 dos 514 membros da Câmara estão sendo investigados”.

Para o jornal irlandês, “a aranha no centro da teia de domingo” é Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O presidente da Câmara “lançou o processo de impeachment em vingança pelo PT não tê-lo protegido após ele ter sido pego na mentira sobre os milhões de dólares enviados para a Suíça e supostamente roubados da Petrobras”, diz o Irish Times.

O jornal afirma que muitos brasileiros têm esperança de que o impedimento de Dilma possa ajudar a tirar o país da atual crise política e econômica, mas que “talvez o impeachment apenas aprofunde a lama moral em que a vida pública brasileira está afundando”.

Marcelo Camargo / Agência Brasil

Deputados durante o processo de votação de abertura do impeachment de Dilma 

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera

Destaques

Publicidade

2018 vem aí!

2018 vem aí!

São centenas de títulos, todos com desconto de 18% e Frete Grátis. Alguns destaques: "Vila Buarque, o caldo da regressão", de Marcos Gama; "Autoritarismo e golpes na América Latina", de Pedro Estevam Serrano; "Machado de Assis - a Poesia Completa"; "A formação do mercado de trabalho no Brasil", de Alexandre de Freitas Barbosa; "A ideia de história na Antiguidade Clássica", de Glaydson José da Silva e Maria Aparecida de Oliveira Silva (org.); "Os leitores de Machado de Assis", de Hélio de Seixas Guimarães; "Nós que amamos a revolução", de Américo Antunes; "Machado de Assil - Lido e Relido", de João Cezar de Castro Rocha (org.); "Jorge Amado na Hora da Guerra", de Benedito Veiga. A lista é incrível: aproveite a reta final de ano, conheça nosso catálogo. Boas festas e um 2018 muito melhor, por 2017 foi osso, né?

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias