Espanha: Parlamento catalão proíbe touradas a partir de 2012

O Parlamento da Catalunha proibiu hoje (28/7) touradas a partir de 1º de janeiro do 2012. Com 68 votos a favor, 55 contra e 9 abstenções, a Câmara regional catalã deu sinal verde à Iniciativa Legislativa Popular (ILP), avalizada por 180 mil cidadãos, que pedia a proibição dos eventos, considerados uma das marcas culturais da Espanha.

Trata-se da segunda região espanhola a proibir os festejos envolvendo os touros. A primeira foi a das ilhas Canárias (no Atlântico) que instituiu uma lei de proteção de animais em 1991.

Efe

Apoiadores da proibição das touradas celebram decisão da Câmara catalã, em Madri

A votação de hoje em uma sessão na Câmara regional, formada por 135 parlamentares, coloca fim a um processo que iniciou em novembro de 2008 e gerou grande expectativa social, política e da mídia, acompanhado sempre pelo olhar atento dos países com tradição taurina como Equador, Colômbia, França, México, Peru, Portugal e Venezuela.

A Iniciativa Popular Legislativa (ILP), que pedia o veto da lida, foi promovida pela plataforma Prou! (Basta!) em defesa dos animais, enquanto o espetáculo taurino como manifestação artística tradicional é um dos argumentos mais generalizados entre os defensores.

Leia mais:
Como a Olimpíada transformou Barcelona
Milhares vão às ruas na Espanha contra reformas na previdência
Vitória da Espanha na Copa do Mundo pode ter impacto positivo na economia

A supressão das touradas afetará, a partir de 1º de janeiro de 2012, somente à praça de Touro Monumental de Barcelona.

Apesar de só estar vigente em Barcelona, na Catalunha, uma das regiões mais ricas da Espanha, existem outras tradições com touros, como os "correbous" - espetáculos de rua com touro, onde os animais têm fogo ateado às hastes, mas não são sacrificados.

Com a decisão do Parlamento da Catalunha, abre espaço para a incerteza sobre o futuro das corridas em um país onde o toureio está identificado por amplos setores sociais como "Festa Nacional".


Siga o Opera Mundi no Twitter

Morre aos 93 anos Shimon Peres, ex-presidente de Israel e Nobel da Paz

Fethullah Gülen diz que Erdogan planejou golpe 'contra si próprio' na Turquia

Bachelet diz que impeachment no Brasil foi mais fácil por Dilma ser mulher

 

Leia Mais

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

'Não podemos mais confiar na Casa Branca'

Ministro do Exterior da Alemanha reage às declarações de Trump, que descreveu a UE como um 'inimigo' dos EUA no comércio. Heiko Maas convoca uma Europa 'unida e soberana' para preservar a parceria com Washington