EUA, Espanha e México são os principais consumidores de pornografia infantil, diz relatório

Os Estados Unidos, a Espanha e o México são os países que mais acessaram arquivos de pornografia infantil na internet em 2010, segundo o relatório apresentado nesta terça-feira (08/02) pela Fundação Alia2, grupo espanhol dedicada a analisar e denunciar o fenômeno na rede.

O estudo, que foi realizado entre janeiro e setembro do ano passado, detectou 421.368 arquivos com pornografia infantil. Destes, 21% (86.767 arquivos) foram baixados por norte-americanos, 11% (47.742 arquivos) por espanhóis e 7% (31.433 arquivos) por mexicanos.

Segundo a fundação, o objetivo é continuar o levantamento nos próximos meses e, posteriormente, fornecer os dados para as forças de segurança espanholas, com o objetivo de obter um mapa das redes de pornografia infantil.

Leia mais:
Polícia detém 49 pessoas em ação internacional contra pornografia infantil na Espanha
Papa pede aos jovens que não "fujam" da Igreja após casos de pedofilia

O relatório também atenta para problemas como a ausência de uma legislação adequada para crimes cometidos via internet, apesar do convênio firmado em outubro pela União Europeia, que inclui ciberdelinquência e cyberbullying como delitos que devem ser julgados pelo código penal. Mesmo assim, muitos dos internautas que cometem tais crimes não são identificados, pois se escondem através de falsas informações, dificultando a infiltração nas redes de pedofilia.

Segundo os autores do relatório, que apresentaram o documento nesta manhã em Madri, essas redes estimulam a pedofilia. De acordo com Juan Salom, comandante e chefe da Unidade de Delitos da Guarda Civil espanhola, o estimula à pedofilia é uma das principais preocupações. Ele afirma que a maioria dos internautas que acessam matérias de pornografia infantil posteriormente se envolvem com casos de pedofilia.

"Os sites de sexo estimulam o consumo da pornografia infantil, e isso é bastante perigoso pois instiga jovens a ultrapassar a fronteira entre o consumo e o abuso sexual" disse Salom, em Madri, durante a apresentação do relatório.

Apesar disso, ainda não há nenhum estudo oficial que mapeie o perfil dos pedófilos e dos consumidores de pornografia infantil e prove a ligação entre as duas coisas. Segundo o jornal ABC, a Universidade de Jaén, na Espanha e a Defensoria de Menores de Madri trabalham em duas análises distintas para definir características e identificar os internautas consumidores de pornografia infantil. Os estudos, porém, ainda não estão concluídos.

O desenvolvimento das novas tecnologias, bem como a possibilidade de redistribuir arquivos entre internautas, têm facilitado acesso a esse tipo de material. Mesmo assim, não foram desenvolvidas ferramentas capazes de acompanhar e identificar os delitos na rede.

A apresentação do relatório coincide com o Dia da Internet Segura, um evento que acontece todos os anos com o objetivo de promover em todo o mundo uma utilização segura e responsável das novas tecnologias, especialmente entre as crianças e jovens.

Siga o Opera Mundi no Twitter    
Conheça nossa página no Facebook
  
 



Concurso premia jovens com armas e munição na Somália ‎

Britânicos não precisarão optar entre gêneros masculino e feminino nos passaportes

Colômbia: ex-diretor do serviço secreto é condenado por ligação com paramilitares

 

Leia Mais

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Morre embaixador da Rússia na ONU

Vitaly Churkin, de 64 anos, morreu 'repentinamente' em Nova York, anuncia Ministério do Exterior russo; diplomata atuava nas Nações Unidas há mais de uma década

 

Mais Lidas

Destaques

PUBLICIDADE

Notícias + Lidas

Últimas Notícias

Morre embaixador da Rússia na ONU

Vitaly Churkin, de 64 anos, morreu 'repentinamente' em Nova York, anuncia Ministério do Exterior russo; diplomata atuava nas Nações Unidas há mais de uma década

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE