Hoje na História: 1965 - Malcolm X é assassinado no Harlem

Malcolm X, líder religioso e nacionalista afro-americano, foi assassinado em 21 de fevereiro de 1965, no bairro novaiorquinho do Harlem pela entidade rival Black Muslims (Muçulmanos Negros) quando discursava para sua organização, a Unidade Afro-americana.

Malcolm Little nasceu em Omaha, Nebraska, em 1925. Era filho de James Earl Little, um pregador batista que defendia os ideais nacionalistas dos negros de Marcus Garvey. Ameaças vindas da organização racista Ku Klux Klan obrigaram a família a se mudar para Lansing, Michigan, onde seu pai seguiu com seus sermões.

Wikicommons

Malcolm X com o outro importante ativista norte-americano Martin Luther King Jr.

Em 1931, o pai de Malcolm foi brutalmente assassinado pela Legião Negra, uma entidade que defendia a supremacia branca. As autoridades de Michigan se recusaram a processar os responsáveis. Em 1937, Malcolm foi tirado da família por assistentes sociais. Nessa altura, com idade para começar a cursar o ensino médio, abandonou a escola e mudou-se para Boston, onde se envolveu cada vez mais com atividades delituosas.

Em 1946, aos 21 anos, Malcolm foi preso, acusado de roubo. Na prisão, se deparou com os ensinamentos de Elijah Muhammad, o líder da Nation of Islam (Nação do Islã), cujos membros eram conhecidos como Black Muslims. A Nação do Islã defendia o nacionalismo negro e o separatismo racial e condenava os norte-americanos descendentes de europeus como “demônios imorais”. As teses de Muhammad impressionaram vivamente Malcolm, que resolveu fazer um intenso programa como auto-didata. Trocou seu sobrenome por um simples “X” para simbolizar o roubo de sua identidade africana.

Seis anos depois, Malcolm foi libertado e se tornou ministro da Nação do Islã no Harlem. Ao contrário de líderes dos direitos civis, como Martin Luther King, Malcolm X defendia a autodefesa e a libertação dos afro-americanos “por todos os meios necessários”. Orador fogoso, Malcolm era admirado pela comunidade negra de Nova York e de todo o país.

Filosofia própria

No começo dos anos 1960, começou a elaborar uma filosofia mais franca que a de Muhammad, quem a seus olhos não defendia o bastante o movimento dos direitos civis. No final de 1963, Malcolm insinuou que o assassinato do presidente John Kennedy Jr. se resumiria em "quem semeia ventos colhe tempestade". Isto levou Muhammad a acreditar que Malcolm se tornara demasiado poderoso e julgou que sua declaração era a oportunidade conveniente de suspendê-lo da Nação do Islã.

Leia mais:
1968 - Martin Luther King é assassinado
1948 - Mahatma Gandhi é assassinado por extremista
1955 - Ativista se recusa a obedecer lei racista nos EUA
1960: Um ano após revolução, Fidel Castro visita Nova York
1969: Panteras Negras Fred Hampton e Mark Clark são mortos a tiros

Alguns meses mais tarde, Malcolm deixou formalmente a organização e empreendeu uma peregrinação muçulmana a Meca, onde ficou impactado com a ausência de discordância racial entre os muçulmanos ortodoxos. Voltou aos Estados Unidos como El-Hajj Malik El-Shabazz e em junho de 1964 fundou a Organização da Unidade Afro-americana, que defendia a identidade negra. Ele sustentou que o racismo e não a raça branca era o maior inimigo dos negros norte-americanos.

O novo movimento de Malcolm ganhou continuamente seguidores e sua filosofia mais moderada tornou-se cada vez mais influente no meio do movimento pelos direitos civis, especialmente entre os líderes do Comitê de Coordenação dos Estudantes Não-violentos.

Em 21 de fevereiro de 1965, uma semana após sua casa ter sido atingida por uma bomba incendiária, Malcolm X foi alvejado mortalmente por membros da Nação do Islã enquanto discursava.


Outros fatos marcantes da data:
21/02/1916: Começa a Batalha de Verdun, a pior da Primeira Guerra
21/02/1945: A FEB (Força Expedicionária Brasileira) toma Monte Castelo na Itália
21/02/1958: A República Árabe Unida (RAU) é aprovada reunindo Egito e Síria


Siga o Opera Mundi no Twitter  
Conheça nossa página no Facebook

Hoje na História: 1980 - Governo da Polônia aceita reivindicações de trabalhadores de Gdansk

Hoje na História: 1999 - População mundial atinge a marca de 6 bilhões de habitantes

Hoje na História: 1337 - Tem início a Guerra dos Cem Anos

 

Leia Mais

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Facebook: o que acontece com perfis de quem morre?

Na Alemanha, pais de uma adolescente tentam na Justiça acesso à conta da filha morta; processo aberto em tribunal berlinense chama atenção para o problema da herança digital de usuários de mídias sociais