Mercado financeiro banca armas nucleares

Indústria é sustentada por bancos e financeiras

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Bomba "Yellow Sun", no Museu Aeroespacial Cosford, na Inglaterra. Foto Wikimedia Commons

A indústria mundial de armas nucleares é financiada e mantida por mais de 300 bancos, fundos de pensão, companhias de seguros e gestores de ativos (“asset management”). É o que revela um novo estudo divulgado essa semana pela Campanha Internacional para Abolição das Armas Nucleares (Ican na sigla em inglês). A pesquisa, de 180 páginas, assinala que as nações com poder nuclear gastam mais de 100 milhões de dólares por ano fabricando novas ogivas, modernizando as antigas e construindo mísseis balísticos, aeronaves de bombardeio e submarinos para lançá-los. Grande parte desse trabalho é realizado por corporações como BAE Systems e Babcock International, ambas do Reino Unido; Lockheed Martin e Northrop Grumman, dos Estados Unidos; Thales y Safran, da França; e Larsen & Toubro, da Índia. Leia mais sobre o relatório nesta matéria da IPS, em espanhol.

 

Assine a revista Samuel. Apoie a imprensa independente.

A ONU não quer dizer “drones”, mas usá-los

Ásia tem os cinco maiores importadores de armas

 
Licença CreativeCommons: Atribuição CC BY

Outras Notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

A música nos livros

A música nos livros

Música clássica, música popular, música engajada, música e política, música num romance policial. Se você gosta de música, não pode deixar de conhecer esses 20 títulos da editora Alameda. Clique aqui e confira. O frete é grátis.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias