Índia propõe a criação de banco do BRICS

Proposta será discutida em Nova Délhi na próxima semana

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Líderes das nações do BRICS na cúpula de 2011. Imagem Wikimedia Commons

A criação de um banco do BRICS será prioridade na agenda do encontro de representantes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, no dia 28 de março, em Nova Delhi, na Índia. O país sede da conferência acredita que a criação conjunta de um banco é um passo natural para acompanhar o crescente poder econômico do bloco, e que poderia fortalecer a posição do BRICS como um forte ator no cenário global. 

Os especialistas ouvidos pela agência de notícias IPS acreditam que "a ideia de um banco que financie projetos nestes países é um sinal de crescente auto-determinação e independência ou interdependência entre as economias emergentes", e que a instituição poderia contrabalançar o peso dos poderes econômicos mundiais, mesmo que sua criação seja difícil. "As nações do BRICS tem pesos econômicos diferentes, e encontrar o equilíbrio para evitar que um ou alguns membros dominem o cenário pode ser um desafio. (...) O BRICS é unidade na diversidade, e estes novos passos em busca de uma cooperação mútua podem ser complicados. Portanto, é interessante acompanhar o desenvolvimento da ideia para entender melhor o mecanismo de sua implementação."

A instituição seria "uma maneira de as nações emergentes escaparem do domínio do Banco Mundial e do FMI", e também poderia, "além de ser uma instituição financeira para os membros do BRICS, apoiar projetos de infraestrutura em países em desenvolvimento na África, Ásia e América Latina". 

Leia o artigo completo, em inglês, no site da agência de notícias IPS.

 

Assine a revista Samuel. Apoie a imprensa independente.

 
Licença CreativeCommons: Atribuição CC BY

Outras Notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

'Não podemos mais confiar na Casa Branca'

Ministro do Exterior da Alemanha reage às declarações de Trump, que descreveu a UE como um 'inimigo' dos EUA no comércio. Heiko Maas convoca uma Europa 'unida e soberana' para preservar a parceria com Washington