Editorial de O Diario.info

A Confissão de John Kerry
The Last Refuge divulgou a íntegra da conversa de Kerry com os dirigentes da oposição síria que durou 36 minutos

Já se sabia, através de fontes confiáveis, que o governo de Obama tinha desempenhado um importante papel na criação e financiamento do Daesh, o auto intitulado Estado Islâmico e sua intervenção na Síria e no Iraque. Somente após a divulgação dos monstruosos crimes cometidos pela organização terrorista, os EUA simularam combatê-la.

Notícia publicada pelo New York Times em 30 de Setembro de 2016 revelou pela primeira vez como a Administração Obama encarava  o envolvimento do Daesh no conflito sírio.

Tratava-se de extratos de uma conversação mantida pelo secretário de Estado John Kerry durante a Assembleia Geral da ONU com dirigentes de um grupo da oposição síria. No diálogo transparecia que Kerry lamentava que o Congresso Norte Americano impedisse o envio de tropas para combater o regime do presidente Bashar Al Assad. A gravação esclareceu ainda que Kerry sugeria aos seus interlocutores que procurassem ajuda de uma força militar capaz de contribuir para a deposição do governo da Síria.

Porém, curiosamente a notícia publicada pelo New York Times não divulgada pelas agências noticiosas internacionais, nem tampouco comentada pelo governo Obama.

O caso foi praticamente esquecido. Mas em janeiro de 2017, The Last Refuge divulgou a íntegra da conversa de Kerry com os dirigentes da oposição síria que durou 36 minutos.

Ficou transparente que os extratos do New York Times, cuidadosamente selecionados, visavam proteger o governo de Washington e não comprometê-lo. O texto integral da gravação confirma que o objetivo estratégico da Administração Obama era “derrubar” Bashar Al Assad e que para isso contava com a intervenção decisiva do Daesh que receberia armas e ajuda financeira.

O silêncio de John Kerry a respeito da conversa secreta é compreensível. As sugestões que fez aos oposicionistas sírios aconselhando-os a uma aliança com os terroristas do chamado Estado Islâmico violam frontalmente a Carta da ONU.

Conclusão: o governo de Barack Obama escondeu que, conforme afirmou seu secretário de Estado, John Kerry demonstrou imensa simpatia acerca da intervenção na Síria dos terroristas do Daesh, dispondo-se a apoiá-los.

***************************

John Kerry confirmou que os EUA usaram para ISIS para trazer Assad da Síria

“Daesh estava ameaçando tomar Damasco, então ele entrou na Rússia. Vimos também, mas pensamos que poderia usá-lo para forçar Assad para negociar …”

Os comentários de Kerry estavam em reunião realizada nos países de missão Holanda para as Nações Unidas na margem da Assembleia Geral da ONU em setembro de 2016.

 

Confira a íntegra do áudio vazou do encontro de John Kerry com revolucionários sírios / ONU (áudio melhorado)

“Eu perdi o argumento para o uso da força na Síria”. Os comentários de Kerry foram feitos durante uma reunião que teve lugar na missão holandesa às Nações Unidas, à margem da Assembleia Geral da ONU”

Note que representa a narrativa dos EUA e não necessariamente toda a narrativa é verdadeira.

Fair Use, seção 107 da Lei de Direitos Autorais, de 1976. O áudio foi melhorada por Angel Norte. O áudio restaurado está postado aqui no interesse público do povo dos Estados Unidos.

O áudio foi originalmente vazado para NY Times no final de setembro e só parte foram transcritas. A CNN, que é a fonte (( http: //edition.cnn.com/2016/10/01/pol … )) após o áudio ter sido postado por Angel Norte removeu de seu site.