Vivian Collazo Montano*

CubacancerPesquisadores cubanos do Grupo Empresarial Labiofam avançam no estudo de peptídeos naturais como uma nova opção para o tratamento do câncer, uma doença que constitui hoje a primeira causa de morte em Cuba, e um problema de saúde em nível mundial.

O doutor José A. Fraga, diretor da instituição, explicou à imprensa que já há 15 anos estão trabalhando ali com estas proteínas de baixa densidade.

Trata-se de compostos com grandes potencialidades, demonstradas mediante pesquisas desenvolvidas ao longo de três lustros, e que atualmente são lideradas por uma grande equipe de cientistas que trabalham juntos em Cuba e na Europa, tanto na clonagem como na sequenciação da substância, obtida de fontes naturais.

Falou sobre os resultados animadores obtidos com uma solução de peptídeos naturais para a terapia de tumores do tronco cerebral em crianças, considerado dos mais agressivos e de pior prognóstico na população pediátrica.

Por outra parte destacou que Labiofam tem uma ampla carteira de produtos e serviços que inclui assessoria, comercialização de cerca de 350 produtos, como vacinas, suplementos dietéticos, biológicos veterinários e para a agricultura, cosméticos. Também presta assistência antivetoriais e transferências tecnológicas.

Informou que a empresa busca possibilidades de colaboração e assinatura de acordos com outros países, com o objetivo de propiciar o intercâmbio de conhecimentos e atividades comerciais.

Por sua vez, Alexis Díaz, licenciado em Microbiologia e mestre em Farmacologia experimental, referiu-se às qualidades do péptido RjLB-14, que tem alta efetividade antitumores.

O especialista explica que há alguns anos comprovou-se a existência de oito peptídeos na toxina de um tipo de escorpião cubano, que tinham ação antitumoral, tendo-se optado por priorizar um deles, o denominado RjLB-14 e desenvolvê-lo por via biotecnológica para encurtar o tempo em que se possa chegar à formulação de um medicamento.

Disse que o composto foi avaliado em mais de 30 linhas de tumores, determinando-se sua predileção por células malignas de origem epitelial. No caso do câncer de mama metastásico sobressaiu seu alto espectro de efetividade, relação dose-resposta, e sua influência na redução do tumor.

Efeito semelhante ocorreu em tumores de pulmão, colo, próstata e cérvico-uterino.

O pesquisador disse ainda que, em nível de laboratório, ao tratar ratos nus (cobaias de laboratório que não possuem pelos), com doses máximas (cinco miligramas), verificam-se reduções de até 90% dos tumores.

Trata-se de um resultado importante e de grande impacto, assegurou Díaz a Prensa Latina. Além disso, vimos que o péptido RjLB-14 insere-se nas células tumorais, não atuando apenas na periferia, sendo capaz de penetrá-la, o que aumenta sua permanência no órgão, mantendo seu efeito.

Além disso bloqueia a proliferação e a progressão dos tumores e, o que se deve destacar, não é tóxico, garantiu.

Os estudos foram realizados reiteradamente em animais de experimentação, com modelos altamente metastáticos, agressivos e resistentes a outras terapias, e os resultados demonstram que se trata de um princípio ativo que poderia realmente funcionar nos tratamentos utilizados contra as doenças oncoproliferativas, concluiu.

*De Prensa Latina para Diálogos do Sul – Tradução: Ana Corbisier