Celso Lungaretti

13895491_1595041340790527_5951254995121900658_n Celso Lungaretti
1

É hora de virar o disco!

O fora este, fora aquele, só nos empurra cada vez mais para baixo. O amargor já cansou. O rancor já cansou. E, como consequência última do clima infernal engendrado por tanta negatividade, a impotência e a abulia que também já cansaram. É hora de virarmos o disco! Celso Lungaretti.*

michel-temer Celso Lungaretti
1

Temer sai do sufoco

Gravação que incrimina Temer é uma fraude! Celso Lungaretti* O castelo de cartas d’O Globo, do procurador-geral Rodrigo Janot e do ministro do Supremo Edson Fachin desabou de vez: o diálogo entre o empresário Joesley Batista e o presidente Michel Temer não foi igual ao que os ventos levaram até a redação do jornal carioca e depois o relator do STF tornou acessível àqueles para quem informações sigilosas não caem do céu. Trata-se de uma…

Vote_em_Ninguem_2 Celso Lungaretti
1

O grande vencedor da eleição paulistana: Ninguém

O tucano João Doria foi o primeiro candidato a prefeito da cidade de São Paulo a liquidar a fatura no 1º turno, desde que as eleições brasileiras passaram a ter dois turnos, em 1992. Celso Lungaretti* Mas, com seus 3.085.187 votos, Doria perdeu para Ninguém: a soma dos votos em branco, nulos e das abstenções totalizou 3.096.304 eleitores que não se sentiram suficientemente motivados a ponto de votarem em qualquer dos candidatos. Adiante poderemos quantificar com…

livro dest Celso Lungaretti
0

1970, a guerra no Vale do Ribeira

NOVO LIVRO ESCLARECE EPISÓDIOS POLÊMICOS DA CAÇADA AOS GUERRILHEIROS DO LAMARCA EM JACUPIRANGA NO VALE DO RIBEIRA No pior momento da ditadura de 1965/85, quando os militares levaram o terrorismo de estado às últimas consequências, a esquerda brasileira respondeu com as três principais modalidades de luta armada que estavam sendo praticadas em situações semelhantes no mundo inteiro: – a guerrilha urbana, com as expropriações de bancos, a tomada de emissora e colocação de mensagens de protesto no…

mentira Celso Lungaretti
0

O Dia da Mentira que durou 21 anos

“Morte vela, sentinela sou do corpo desse meu irmão que já se foi. Revejo nesta hora tudo que aprendi, memória não morrerá! Longe, longe ouço essa voz que o tempo não vai levar!” (Fernando Brant e Milton Nascimento, “Sentinela”) Celso Lungaretti* Nesta 4ª feira, ao se completar mais um ano da pior mentira já socada goela dos brasileiros adentro -a quebra da normalidade institucional sob justificativas falaciosas, mergulhando o País nas trevas e barbárie durante mais de duas…