Grã-Bretanha

Jeremy Corbyn revela: outra esquerda é possível

Avanço dos trabalhistas ingleses, e de seu líder rebelde, envia um sinal. Sociedades estão cansadas de partidos acomodados – mas dispõem-se a enfrentar o neoliberalismo e lutar por mudanças estruturais. Antonio Martins* Num tempo sombrio, de retrocessos em todo o mundo, golpes e vitórias da direita (Trump, Temer, Macri, Duterte e muitos outros), surgiu na quinta-feira (8/8)um fato extraordinário, que é preciso examinar com atenção. Jeremy Corbyn, o líder rebelde…

O Reino Unido falha com suas crianças

Glenda Arcia* Depois de um ano de demoras e controvérsias, o Reino Unido retoma as investigações sobre o possível encobrimento, pelo governo conservador de Margaret Thatcher, de uma rede de dedofilia nas altas esferas do poder. Uma pesquisa independente, dirigida pela juíza neozelandesa Lowell Goddard, promete revelar a verdade sobre o que poderia transformar-se em um dos maiores escândalos naquele país. A confirmação da culpabilidade de políticos e figuras reconhecidas,…

A fome cresce na Grã-Bretanha

Matt Carr* Os drásticos cortes na assistência social implantados pelo governo de coalizão têm um impacto cada vez mais claro na Grã-Bretanha, onde as medidas de austeridade para enfrentar a crise financeira fazem estragos nos setores mais vulneráveis. Um levantamento publicado no site Netmums mostra que, regularmente, uma em cada cinco mães britânicas não tem o que dar de comer para seus filhos. Atualmente, milhares dependem de organizações beneficentes e…

Tatcher ou o indivíduo acima da coletividade

David Bollero* A Dama de Ferro foi a primeira mulher a liderar um governo europeu e dividir a um país de maneira visceral. Seus onze anos em Downing Street se traduziram em opulência privada e pobreza pública. Como se de uma macabra ironia se tratasse, um derrame cerebral apagou no dia 8 de abril a vida da que sem dúvida passou já para a história como o primeiro ministro britânico…

Malvinas e a hipocrisia

Miguel Mazzeo* A “questão Malvinas” é uma ferida aberta na memória da sociedade argentina. E é um problema com várias arestas não resolvidas, tanto para a esquerda como para o campo popular em seu conjunto. Os paradoxos proliferam e tencionam os valores mais representativos das tradições políticas emancipatórias. Mostram alguns de seus pontos cegos, suas vacilações, seus mutismos. Por exemplo, os soldados conscritos mortos durante e depois da guerra de…