ONU,Dia Internacional dos Povos Indígenas,Navi Pillay,Mundo-Fe-em-JesusConvocatória para o Dia Internacional dos Povos Indígenas


Nós temos os nossos limites, porque aldeias indígenas não podem desfrutar dessa mesma possibilidade?A luta pela permanência dos nossos parentes indigenas em todo Brasil:Guarani kaiowás em Iguatemi (MS);Terenas (MS);Tupinambá de Olivença (BA);

Passa pela questão do limite: o limite da terra a que todos nós temos direito. A questão do limite – o reconhecimento e a demarcação das terras indígenas – pode evitar muitos conflitos e mortes. Pode evitar a violência que ronda o nosso país.

Demarcação de terras não é um luxo, é uma necessidade legal para garantir a sobrevivência de diversos grupos brasileiros que não tem fácil acesso a escritórios de advogados e não montam lobbys nos corredores dos órgãos públicos.

Participe, colabore e compartilhe!

Será realizado em todo o pais MANIFESTAÇÕES PACIFICAS;

Peca-1-Pente-AF

* Rio de Janeiro, RJ
Realização: Raízes Históricas Indígenas
Panfletagem dia 09 de Agosto em Terminais de Transporte Públicos;
– Metro, Barcas, Aeroportos, Trem, Terminais Rodoviários
– Universidades
Manifestação dia 11 de Agosto de 2013 em Copacabana (ainda a definir ponto e horário de saída e chegada)
Atividades Culturais, Sociais e rituais religiosos não indigenas e espirituais indígenas

* Belo Horizonte, MG
Ato Indígena Nacional, Minas Gerais (BH). Dia Internacional dos Povos indígenas
Realização: Instituto Imersão Latina/Comitê Mineiro de Apoio a Causa Indígena.
concentração dia 11 de agosto de 2013 na Praça 7

Organizem em seus estados e nos repassem para fins de divulgação e lembrando “MANIFESTAÇÕES SOMENTE PACIFICAS”, e realizem atividades culturais e sociais.

Conheça Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas.

arquivoAprovado pela Assembléia, em 13 de setembro de 2007,  é uma ferramenta importante para a defesa dos direitos dos povos indígenas em todo o mundo. Nele são colocados direitos como à participação política, à terra, aos territórios e aos recursos naturais, ao consentimento prévio, livre e informado e às normas não escritas que regem internamente a vida das comunidades.

O projeto AVA MARANDU preparou a tradução para o guarani da íntegra do documento produzido pela ONU.Além de contribuir significativamente para a divulgação da Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas, esta publicação, também na língua Guarani, oferece ao povo desta etnia uma ferramenta que poderá ser utilizada nas escolas indígenas, permitindo a apropriação do conteúdo da declaração e contribuindo para o fortalecimento desta que é uma das línguas mais faladas no Brasil, e uma das línguas oficiais do Mercosul.

Juca Ferreira – ministro da Cultura

Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas – português

Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas – guarani